A sofisticação rara por trás das joias da designer Mariana Berenguer

A designer de joias Mariana Berenguer na tarde em que apresentou a glamurettes sua nova coleção de joias | Foto: Bruna Guerra

Aproximadamente duas vezes por ano Mariana Berenguer reúne lulus de diversas gerações, com faro fino em comum, para uma tarde regada a champagne e coquetel para apresentar suas novas coleções de joias. O último encontro aconteceu nessa quarta-feira. Na ocasião, Glamurama conversou com ela para saber mais sobre as peças, que arrematam os looks de glamurettes chiques da cidade e estão à venda no ateliê da designer, no Itaim.

Em uma grande mesa foi exposta uma enorme variedade de gemas, que estão “cada vez mais caras e raras devido a maior dificuldade de encontrá-las na natureza”, explicou Mariana. De ametistas, topázios e citrinos a corais, esmeraldas, até chegar na menina dos olhos da designer: a turmalina Paraíba.

Mariana vive garimpando nos quatro cantos do mundo as melhores pedras para suas criações. Além de socialites paulistanas, ela atende clientes de fora do país apaixonadas pelas pedras brasileiras. Para agradar todas as gerações, ela tem desde peças clássicas até as mais modernas e leves.

Um preview das novas criações de Mariana Berenguer | Foto: Bruna Guerra

Mariana orienta suas clientes a combinar descombinando: “A não ser que seja uma coleção muito importante, não é necessário usar tudo igualzinho.” Alertando para o mix & match nas joias, completou: “Uma bijuteria bonita com uma joia bonita também fica ótimo e moderno.”

Ela destaca nesta estação matérias-primas como coral, pérolas, especialmente as barrocas, e avisa: para um look vistoso, aposte em peças com composições inusitadas. Entre cores do momento, pedras verdes e azuis, que evocam a natureza, sobretudo esmeraldas, turmalinas Paraíba e tanzanita – a gema colorida mais vendida nos Estados Unidos.

Já que joia é o presente mais especial que alguém pode receber, perguntamos a ela qual a pedra perfeita para alguém importante: “A turmalina Paraíba: descoberta há aproximadamente 30 anos, ou seja, reconhecida como uma gema importante nesta geração, é uma joia que uma avó não deixará para sua neta, pois a gema não estava disponível em épocas passadas. E apesar de nova, também é rara e cada vez mais reconhecida e valorizada. Por isso, é um presente muito especial.”

Fonte: Glamurama

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado