Consumidores de jóias ainda confiam na economia tradicional

Por Débora Rodrigues

Os resultados do índice de tendências INHORGENTA 2018 da Messe München mostram uma tendência que pode ser observada mundialmente. A entidade analisou uma amostra representativa de 1.025 respostas dadas por consumidores do Reino Unido e, segundo os dados, ao comprar produtos de luxo como relógios e jóias, os consumidores ainda preferem usar a forma mais tradicional: cerca de 70% preferem comprar em uma loja física a buscar algo online.

Esse comportamento pode ser explicado. Segundo disseram os entrevistados, eles valorizam a consulta pessoal e profissional que encontram em uma joalheria física. Ao mesmo tempo, quase 40% desejavam que seu próprio joalheiro confiável tivesse uma presença on-line.

“Há uma mensagem importante para lojas especializadas aqui: a maioria dos consumidores quer uma experiência de serviço ainda mais personalizada”, disse Stefanie Mändlein, diretora de exibição da Inhorgenta. O que se confirma, pois 69% desejam serviço feito sob medida. Segundo ela, esta é uma oportunidade para aproveitar o domínio digital, já que 62% dos ouvidos também vislumbra uma experiência de compra personalizada online. “Nós vemos isso como um recurso para melhor conectar as empresas tradicionais com oportunidades on-line e construir relacionamentos ainda mais próximos com os clientes”, disse.

O preço também interfere na decisão de onde comprar. Quando um joalheiro oferece a escolha entre uma loja online e física, 58% dos entrevistados têm um limite de preço máximo para bens comprados na internet. Para mais de metade deles (56%), o limite para compras on-line é de cem euros. Outros 28% estão dispostos a gastar até 499 euros online.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado