Diamantes amarelos superam expectativa em venda de leilão

Por Débora Rodrigues

Uma coleção de diamantes amarelos, que pertenceu à elite mineira da África do Sul, foi vendida em um leilão por valor muito acima do esperado, superando as expectativas. As joias permaneceram na família Cullinan, e agora foram leiloadas em dois lotes separados na venda Bonhams London Fine Jewellery, somando um total de US $ 773.350.

Um broche com três diamantes amarelos vívidos, pesando 5,29, 3,11 e 2,37 quilates, alcançou US $ 606,029. Um comprador on-line arrematou a peça depois de uma acirrada disputa, superando a estimativa de pré-venda de US $ 268.000 para US $ 402.000. O segundo lote, um par de diamantes amarelos vívidos e redondos, pesando 2,08 e 1,93 quilates, respectivamente, foram vendidos por US $ 167,319, quando a estimativa inicial era de $ 67,000 a $ 107,000.

Estes diamantes foram descobertos na década de 40, quando RV Cullinan – filho do magnata do diamante Thomas Cullinan – pediu ao diretor da De Beers, Pierre De Villiers, para lhe trazer alguns diamantes de sua visita a Kimberley. Durante a viagem de trem à mina, De Villiers mostrou o que ele comprou a Sir Thomas Oppenheimer, o fundador da Anglo American, e este disse ter algo melhor. Ele então lhe ofereceu os diamantes amarelos. De Villiers comprou alguns para si e levou os demais para Cullinan.

“Os diamantes amarelos brilhantes e extravagantes desta coleção são excepcionalmente bem combinados e possuem uma proveniência invejável”, disse Jean Ghika, diretor de jóias de Bonhams para o Reino Unido e a Europa.

Outros destaques do leilão incluíram um anel de diamante de marquise-cut, 7.73 quilates, F-color, VVS1 de clareza por Harry Winston, que vendeu por US $ 316.902 ou US $ 40.996 por quilate.



Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado