Gestão democrática

Por Rosalvi Monteagudo

Neste mundo em que são justíssimas as desconfianças de uma realização do social pelo econômico, uma vez que a corrupção é muito grande, a falta de transparência e a subjetividade na administração prejudicam a autonomia na gestão e no controle democrático, entretanto, precisa tirar o papel do Estado-Patrão e do Estado-Administrativo que adota a intervenção e o paternalismo social, via apoio econômico.

Na gestão administrativa, a falta de transparência e a subjetividade conduzem à demissão de gerentes que mesmos competentes, deixam o comando por não lhes darem uma situação clara e imediata.

O problema da gestão é que estão gerindo como um empreendimento comercial e tornando-se um concorrente a mais, pois se adaptam a um modelo de administração de empresa tradicional com fins lucrativos.

O meio de resolver os problemas de falta de formação da diretoria na administração de uma empresa pode ser resolvido via aplicação de software em que se organizam as prioridades da ação, porem, com controle e transparência econômica.

O problema social é a dependência no capital, e assim nunca poderão se fortalecer, a menos que se tornem autossuficientes. O capital deve ser usado como solução social, numa ação socioeconômica. É necessário ter maior transparência para poder-se organizar uma gestão socioeconômica, com neutralidade e autonomia administrativa, e tudo precisa ser formalizada através da aplicação da moderna regra de ouro do coooperativismo, regra 30/70.

No moderno cooperativismo, revisto, a gestão é organizada por um conjunto de operações socioeconômicas que administram democraticamente a sua execução. A ação de gerir nessa terceira revolução industrial e tecnológica deve ser programável, organizando-se através do levantamento das necessidades, interesses e reivindicações e quantificando-as para uma solução visível. É a administração com uma projeção para uma solução de forma democrática. Dessa maneira estabelece a base para a autonomia administrativa, autonomia social e autonomia financeira, em seu funcionamento de forma democrática.

A gestão democrática é a maneira de gerir uma empresa que possibilita a decisão de forma transparente e democrática. É uma atividade meio para atingir uma atividade fim, de forma clara com prioridades pré-estabelecidas, através da aplicação da moderna regra de ouro do cooperativismo 30/70.

Gestão transparente e clara

É indispensável uma gestão transparente e clara, motivo pelo qual a sugestão para se desenvolver um software que divulgue os resultados, a fim de estabelecer as decisões socioeconômicas. O sistema solidário precisa ser embasado num software integrado com os cooperadores/donos para coletar as necessidades.

O levantamento da informação de baixo para cima é estabelecido para transformar-se numa união de força e formar uma ação homogênea com o poder de causar uma notável mudança, motivo pelo qual as ações são processadas, através do mercado da informação dos cooperadores/donos. A moderna regra de ouro do cooperativismo 30/70 é um método que pode ser aplicado para buscar a imparcialidade, através de um software que poderá ser um dos meios de fazer as vezes da real necessidade concentrada e significativa de seu grupo de ação, sem a manipulação de cima para baixo, mas o inverso.

Esta terceira revolução industrial e tecnológica realça a importância do homem como o maior produtor natural da informação. A base do mundo é o homem e atendê-lo passou a ser a máxima do globo. O alerta para a importância da informação e do papel do homem como o produtor natural desta e organizá-la, é a maior força do moderno cooperativismo, que sempre viveu e sobreviveu por atender seus cooperadores, decidir, etc…, através deste mercado da informação.

O grande antagonismo entre as doutrinas se dá através da organização do mercado da informação, quando se administra para servir a humanidade numa compartilha dos recursos humanos, materiais e econômico-financeiro pelo suporte do processamento técnico, e não para a aplicação do capital; para uso e não abuso da informação visando um desenvolvimento social. O computador é o maior suporte para o cooperativismo, que vive e sobrevive da informação, pois, organizá-la, para que se possa representar a base de baixo para cima, de maneira democrática e em cooperação econômica, para suprir as necessidades, os interesses e as reivindicações dos cooperadores/donos.

A informação é o forte da cooperação e comprova que a doutrina da cooperação antecipou a atual revolução tecnológica pelo qual deve ser implementada de forma humana em seu modelo técnico e tático, pois o social e o econômico financeiro vivem e sobrevivem da organização da informação.

A doutrina econômica neoliberal controla a informação de cima para baixo enquanto a doutrina econômica da cooperação a organiza de forma humana e democrática de baixo pra cima.

2. Moderna regra de ouro do cooperativismo: Regra 30/70

Rosalvi Maria Teófilo Monteagudo, escritora, formada pela USP e com pós-graduação em informática e cooperativismo, fomenta reflexão sobre a economia solidária, novas regras.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado