Incremente suas vendas com a ajuda de catálogos

Por Gabriel Moura


Com a chegada da internet, a maior parte das lojas transferiram grande parte das vendas para a internet – por ser mais barato, mais rápido de ser publicado ao mesmo tempo que produtos e os preços podem ser alterados facilmente. No entanto, muitos varejistas ainda usam catálogos impressos para alavancar suas marcas.

Assim, eles sobrevivem à era digital, se mantendo como uma ferramenta de marketing e um importante canal de vendas, embora eles tenham ficado menores e sendo enviados com menor frequência. Uma das principais vantagens do catálogo é chegar diretamente às mãos do cliente. E esse tempo de contato é muito mais significativo do que aquele feito por meio e-mails, por exemplo.

Dentre as vantagens de apresentar um produto impresso está a de que o cliente poderá olhar para ele com mais atenção, levar o material para qualquer lugar e consultar a qualquer momento. E ele poderá refletir mais tempo a respeito da compra de algum item e voltar a consulta-lo, ler com calma as informações sobre o produto e até mesmo interagir com o material, fazendo suas observações – algo que não pode fazer em outras mídias.

A volta aos materiais impressos parece ser uma tendência. Nos Estados Unidos, em 2016, cerca de 9.8 bilhões de catálogos foram enviados aos consumidores, de acordo com a Associação de Dados e Marketing. O volume representa metade dos 19,6 bilhões de catálogos enviados em 2007 – mas ainda são muitos os catálogos. Além disso, os varejistas gastam anualmente cerca de US $ 9 bilhões no mercado de catálogos, de acordo com a associação. E não sem razão. No último ano, cerca de 100,7 milhões de consumidores compraram usando um catálogo. Além disso, quase 40% dos compradores de vestuário e mais de um terço dos consumidores de eletrônicos e material de escritório, primeiro buscam informações sobre estes produtos em materiais recebidos por mala direta.



Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado