Joalherias se reinventam no Estado

Marca pernambucana cria uma linha com design exclusivo e menores preços para enfrentar a crise

Por Marina Barbosa

De olho no impacto que a crise econômica poderia gerar no seu fluxo de vendas, joalherias pernambucanas têm apostado no desenvolvimento de peças alternativas, mais baratas, para poder manter e até conquistar novos clientes durante este período de dificuldade financeira. A CiS Joias criou até uma linha específica para isso. É a Lady Like, que promete design exclusivo com um custo menor.

“O cliente continua buscando uma peça bonita, mas hoje também coloca na balança o valor do produto. Então, decidimos lançar uma linha mais leve e jovial que fosse mais barata, mas não deixasse de lado o diferencial da CiS, que é o design exclusivo”, contou a designer responsável pela marca, Cris Lemos. Ela disse ainda que investir nesse novo nicho também foi necessário porque além da redução do tiquete médio brasileiro, o setor de joias foi impactado pelo aumento do preço dos seus insumos, já que o ouro ficou mais valorizado e o dólar subiu, deixando as matérias-primas importadas mais caras.

A saída encontrada pela CiS Joias foi, então, a substituição de materiais na confecção dos brincos, colares, pulseiras e anéis. Cris explica que a nova linha mantém o design que é a marca da CiS e trabalha com ouro. No entanto, trabalha com um design mais leve e, ao invés de apostar em pedras como a esmeralda, o diamante e o rubi, usa gemas como madrepérola, o ametista verde, o topázio azul e o citrino de gema amarelada. “As gemas são primordiais para não deixar a peça tão onerosa. Por isso, o diamante sai para dar espaço a gemas mais acessíveis como o topázio incolor, que é uma gema neutra e fica bem com o ouro amarelo”, afirmou Cris, garantindo que essas pedras são bonitas apesar do preço mais acessível.

E a mudança faz muita diferença no valor final do produto. Segundo Cris, as peças da Lady Like vão de R$ 600,00 a R$ 2mil. Nas linhas tradicionais, no entretanto, um brinco pode custar entre R$ 5mil e R 25mil. Por isso, as novas peças têm sido bem procuradas na loja, que fica no Shopping RioMar, no Recife. “Estamos preparando uma nova colação porque existe demanda para essas peças mais acessíveis”, contou a designer, dizendo que conseguiu até atrair novos clientes desta forma. “Chegamos no público que busca uma peça mais barata, mas também no público jovem que quer uma peça diferenciada mais ainda não está tão estabelecido financeiramente”, comemorou.

Fonte: Folha de Pernambuco – Recife

1 comentário
  1. Boa tarde !

    Parabéns pela proposta ! Com toda certeza é o redirecionamento do mercado joalheiro no Brasil. Que sempre foi marcado por ter um designer inovador, criativo e muito vendável também !

    Att.

    Cristina Sciessere

Comentar

Seu email não será publicado