Midas e o seu toque de ouro

A simbologia positiva e a trágica história da expressão ‘toque de Midas’

Por Erica Mendes

Algumas pessoas parecem ter o dom de tornar bem-sucedido tudo o que faz, multiplicando investimentos e prosperando seus negócios. À elas são atribuídas a expressão ‘toque de Midas’, em analogia a tudo o que toca vira ouro, assim como o rei Midas na mitologia grega. No entanto, apesar desta ideia ser positiva, ela tem uma história bem triste.

O rei Midas
Midas era o rei da Frígia, na antiga Ásia Menor (hoje uma das regiões da Turquia), que vivia em um luxuoso castelo e passava os dias a contar suas moedas de ouro. Embora muito rico, sua fortuna não lhe bastava e desejava cada vez mais dinheiro, sendo a sua felicidade conferida pelo nobre metal.

A ambição
Certo dia, Sileno, pai de criação de Dionísio, o deus do vinho, adormeceu alcoolizado no campo, deixando seu filho sem notícias. Ao ser encontrado por camponeses, foi levado ao Rei Midas, que o reconheceu imediatamente. Famoso por sua sabedoria, Sileno foi hospedado no castelo em meio a festas e banquetes. Depois de alguns dias, ele regressou e Dionísio ficou muito feliz por revê-lo bem. Em agradecimento a Midas, ele lhe concedeu um desejo e o rei, por sua vez, imediatamente declarou sua vontade de transformar em ouro tudo o que tocasse. Mesmo com pesar pela escolha, Dionísio atendeu ao pedido.

A maldição
Eufórico, Midas pegou uma pedra que, prontamente, se tornou em uma pepita de ouro. Depois de testar sua nova habilidade em muitos outros objetos, sentiu fome, mas foi impedido de comer e beber, pois tanto a comida quanto o vinho também se tornaram ouro ao seu toque. Ao se dar conta de que a dádiva na verdade era uma maldição, caiu em lágrimas. Sua filha ao chegar no castelo e vê-lo chorando foi consolá-lo com um abraço quando também se transformou em uma estátua de ouro.

A redenção
Desesperado, Midas clamou a Dionísio a reversão do seu ganancioso desejo. Benevolente, o deus do vinho pediu que o rei fosse para montanha em busca do rio Pactolus e ao banhar-se suplicasse que o poder de seu toque lhe fosse retirado. Desde então, o rio foi coberto por uma areia dourada e as escamas dos peixes reluziram como o ouro. Livre da maldição, tudo o que tinha transformado no mais nobre do metal voltou ao normal. Após esse trauma, Midas compreendeu a lição e passou a repudiar toda e qualquer riqueza.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado