Peças icônicas do joalheiro de Alexander McQueen são leiloadas

Da redação/Elle

Durante os anos 1990 e no começo dos anos 2000, Alexander McQueen teve ajuda de uma mente tão brilhante quanto a sua para criar seu universo onírico e único. O joalheiro Shaun Leane, cujas peças nunca foram tímidas, ficou conhecido por criar as estruturas que eram atrações especiais no desfile do estilista, principalmente por sua elegância sinistra, inspirada nas ideias de McQueen. Na próxima segunda-feira, quem for apaixonado por suas criações terá a chance de arrematar itens icônicos em um leilão da Kerry Taylor em associação com a Sotheby’s de Nova York. A venda é parte do programa “A Life of Luxury”, uma semana de leilões de arte, relógios, vinhos e automóveis realizada pela casa.

Hoje longe das passarelas, Shaun tem sua própria boutique em Londres, na qual produz tanto peças customizadas quando joias com preços mais acessíveis. Mas no começo, até mesmo o encontro dos dois criadores foi tão romântico quanto eram seus ideais. Aproveitando a viagem: Conheça com a Copastur Prime os 5 pubs mais originais da Inglaterra Patrocinado

Eles se conheceram quando Shaun trabalhava no bairro de Hatton Gardens, famoso por seu quarteirão de joalherias, e Alexander era estudante da Central Saint Martins. Com a mesma idade, ambos vinham de famílias de classe trabalhadora, mas apesar da identificação imediata, foi só quando McQueen visitou a joalheria na qual Shaun trabalhava que eles entenderam que deveriam seguir com suas próprias ideias. Uma nova dinâmica invadiu a vida de Shaun rapidamente: de dia, ele lapidava diamantes, e durante a noite, produzia estruturas de cera que lembravam ossos em corsets.

“Mesmo que a gente só pudesse mostrá-las por 20 minutos na passarela, por instinto, eu não conseguia fazê-las de qualquer jeito. Graças a Deus eu não fiz, porque agora elas estão expostas em museu”, conta Shaun ao Bussiness of Fashion.

O leilão terá peças icôncas que certamente agradarão tanto colecionadores de moda quanto de arte e museus. “Essas peças são visualmente e historicamente importantes, e refletem a habilidade de Shaun Leane combinada com o gênio de Alexander McQueen”, conta Kerry Taylor. Uma coroa de prata com espinhos, criada para o show “Dante”, de inverno de 2016, está sendo vendida com a condição de poder ser exposta para a mais nova exposição do Metropolitan Museum of Art, em Nova York, que pretende explorar a relação entre religião e moda.

“Cada peça é um marco na minha carreira e uma memória de Lee e de minha vida”, reflete Shaun. “Começamos a criar essas peças há 20 anos e estávamos ultrapassando os limites, mudando a percepção do que joias ou moda podiam ser. É arte? É moda? É joalheira? O destino, agora, é que elas façam o que foram criadas para fazer: inspirar e provocar”, finalizou ele.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado