O que podemos aprender sobre liderança com o Papa Bento XVI

O exemplo do religioso é uma aula para líderes de todos os tempos

Por Renato Rinco

O filme dois papas, do diretor brasileiro Fernando Meirelles, foi um dos indicados à melhor filme para a Cerimônia do Oscar este ano e representa uma boa oportunidade de vermos um estilo de liderança fora do convencional.  A história traz dois papas com estilos diferentes, um mais conservador e outro com ideias e projetos mais liberais, revelando como ambos conseguiram passar por cima dessas diferenças.

Quando Papa Bento XVI observou que a religião católica estava perdendo muitos fiéis, ele percebeu que com seus ideais mais conservadores não iria conseguir fazer as mudanças necessárias naquele momento dentro da Igreja. Ele compreendeu que era hora de sair de cena e abrir espaço para que uma nova liderança, com ideias mais avançadas, reaproximasse novamente os fiéis para a religião.

Com esse exemplo, Bento XVI deixou um belo legado de liderança. É preciso ter coragem para se arriscar, além de perceber o que está acontecendo no mundo inteiro, e, acima de tudo, pensar no bem maior da organização, do que apenas em si.  Quando a empresa exige uma mudança que vai além de você, é preciso focar nela e deixar de lado as vaidades pessoais.

Existem três conceitos existentes em um processo de mudança organizacional que são: o contexto, (por que mudar?), o conteúdo (o que mudar?) e o processo (como mudar?). Esses conceitos foram elaborados por Andrew Pettigrew (1944) e servem como análise dentro das mudanças feitas pelo antigo Papa. Bento soube entender o contexto no qual estava a Igreja Católica, percebeu qual conteúdo teria que ser inovador dentro do sistema católico, além de realizar o processo no qual aconteceria à renovação da Igreja.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado