Safira: a gema do mês de setembro

A pedra símbolo da fidelidade tem exemplar de cor rosa alaranjado mais valioso que o tradicional azul

Erica Mendes

A safira é a gema representante do mês de setembro. Considerada símbolo da fidelidade, não é à toa que ela adorna as joias que celebram os 35 anos de casados, usada por aqueles que valorizam a verdade, a sinceridade e a lealdade.  A safira traduz sabedoria e exatidão, sendo também a pedra preciosa que mais está presente nas joias de formatura, representando mais de 20 profissões, como administração, arquitetura, engenharia e matemática. E um dos poderes a ela atribuídos é a proteção daqueles que nasceram sob os signos de touro, sagitário, aquário e peixes.

 

Entenda suas características

O nome safira deriva do grego sapphirus que significa azul. Na Antiguidade, todas as pedras preciosas azuladas levavam esse nome. Só por volta de 1800 é que a safira, assim como o rubi, foi reconhecida como coríndon, com qualidade de gema. Atualmente, entende-se por safira todos os coríndons não vermelhos.

Apesar da safira mais estimada ser a azul, ela também se apresenta nas cores amarela, rosa, verde, violeta, roxa, marrom, preta, cinza, incolor e rosa alaranjada, chamada de ‘padparadscha’ (que significa “flor-de-lótus em cingalês), sendo extremamente rara e com o maior preço por quilate entre todas as suas tonalidades.

Safira Padparadscha

Como a safira tem dureza 9 na Escala de Mohs, as joias com esta gema se não guardadas de forma adequada dentro de um porta-joias, certamente danificarão as outras gemas.

Os seus efeitos ópticos – asterismo, olho-de-gato, aura sedosa – não são exclusivos, pois também aparecerem nas outras cores de coríndons. A aparência sedosa das raras e valorizadas safiras ‘kashmir’ (aquelas de cor azul profundo, provenientes das jazidas de Caxemira, no norte da Índia, que estão praticamente esgotadas) decorre de minúsculas agulhas de rutilo (óxido de titânio) cristalizadas no interior da gema. Já o efeito do asterismo das chamadas safiras estrelas – uma imagem em forma de estrela de seis pontas – é produzido pela reflexão da luz sobre as inclusões de rutilo agrupadas em diversas direções.

Safira Estrela com efeito óptico asterismo
As minas de origem

Sri Lanka Tailândia, Austrália, Vietnã, Turquestão, Índia, Quênia, Tanzânia e EUA são os principais países produtores das safiras atualmente.  Porém, é importante salientar que, apesar de alguns desses países apresentarem cristais de bom tamanho e azul profundo, poucos são os exemplares hoje comercializados sem nenhum tipo de tratamento de cor.

É muita rara a produção no Brasil, porém já foram registradas ocorrências em Mato Grosso, Goiás, Snata Catarina e Minas Gerais.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado