GIA usará inteligência artificial para classificar diamante

Software é capaz de reconhecer inclusões e reflexos nas gemas

Por Gabriel Moura

O GIA, Gemological Institute of America, está corajosamente inovando e dá mais um passo rumo a classificação automatizada para diamantes. O instituto anunciou parceria com a IBM para desenvolver um sistema de inteligência artificial para classificação de clareza da gema.

O laboratório está atualmente testando o sistema em pedras de 4 quilates ou menos, e tem planos de expandir o serviço em 2021. Pritesh Patel, vice-presidente sênior e diretor de operações do GIA, disse que a classificação de clareza de IA funciona alimentando conjuntos de dados – o GIA tem milhares de pedras em sua coleção de referência que são usadas como padrões para os 4Cs – no programa, que então é usado para treinar algoritmos sobre como classificar diamantes para maior clareza.

O programa está sendo ensinado sobre como procurar certos tipos de inclusões, penas, cristais, agulhas, etc., e a que grau de clareza essas inclusões, ou combinações de inclusões, equivalem em um diamante.

O vice-presidente executivo e diretor de laboratório e pesquisa da GIA, Tom Moses, disse que, neste momento, a classificação de clareza de IA ainda está em estágio de desenvolvimento, com classificadores humanos verificando seu trabalho.

No futuro, porém, o sistema funcionará sozinho na maior parte do tempo, com o objetivo de tornar a classificação mais rápida, precisa e consistente até que possa ser expandida para mais cortes, tamanhos e qualidades de diamante.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado