Joalherias estão redescobrindo a moda de usar moedas em suas joia

Tendência é resgatada pela Bvlgari

Débora Rodrigues

As joalherias estão redescobrindo a moda de usar moedas em suas joias. E o maior exemplo dentre as mais famosas casas é a Bvlgari, que sempre teve um longo caso de amor com moedas antigas, que frequentemente aparecem como peças centrais em anéis, colares, broches e até relógios, formando parte de uma coleção que a casa italiana chama de Monete (moedas em italiano). Na mais recente coleção de alta joalheria da casa, Wild Pop, o perfil do imperador romano Cláudio estampa uma moeda de bronze.

Tão raro quanto as pedras preciosas, as moedas antigas, originárias de antiquários e casas de leilão, são chamadas de “gemme nummarie” (numerais) e atravessam séculos de história. Moedas podem comandar preços altos em leilão – como  a famosa moeda americana de 1933 com uma águia dupla, vendida na Sotheby’s em 2002 por um recorde mundial de US $ 7.590.020. A Bvlgari trata cada moeda como uma joia e o conjunto de joias são vendidos com um certificado.

A Sotheby’s vendeu um bracelete de corrente Bvlgari com elos cônicos, apresentando uma moeda de Dirham Sassaniano de prata 590—627AD, da Pérsia, por US $ 16.250. Na mesma venda, a peça central de um colar Bvlgari também era uma antiga moeda de bronze representando o rei George III, cujo o verso mostra o brasão do rei. Ele foi vendido por US $ 12 mil.

Já em dezembro, a Sotheby’s colocou à venda um colar Bvlgari de platina e diamantes cravejado de uma moeda de ouro de US $ 1, de 1857, pertencente a Barbara Sinatra. Ele foi vendido por US $ 62.500.

Para preservar seu valor numismático, a inserção de uma moeda em uma joia requer cuidados especiais. Ela precisa ser montada entre dois painéis – seguindo seus contornos frequentemente irregulares – e o reverso da moeda também deve ser exposto. Quando uma moeda é montada em uma joia, seu valor numismático se torna secundário ao valor geral da peça.

Outra preocupação é que elas não pesem muito, caso contrário não terão aceitação. Ao comemorar seu 125º aniversário, a Hemmerle lançou um par de brincos com um marco alemão de 1893 e criou uma coleção com moedas recuperadas do Hartwell, um navio a serviço da Companhia das Índias Orientais que foi destruído nas Ilhas Cabo Verde no final da década de 1780.

Utilizadas pela primeira vez por Hemmerle na década de 1980, as moedas se adaptam aos tons suaves das criações da casa. Incorporar moedas em jóias é um trabalho de paciência. É necessário muita pesquisa e estudo de como usar esses materiais. E agora, além de contar a história de uma civilização, as moedas podem ser vinculadas à própria história do usuário.

Enquanto isso, na Bvlgari, encontrar as moedas perfeitas para caber em seus renomados relógios secretos (relógios escondidos em jóias) é uma missão que pode levar décadas. A maison levou anos para adquirir uma moeda de prata perfeitamente circular e fina para ser inserida secretamente em um relógio Monete.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado