O homem que inventou o amor moderno em joias

Aldo Cipullo, famoso por seu trabalho na Cartier, foi responsável por inspirar o amor moderno em joias deslumbrantes

Por Clara Lemos

designer de joias
Pulseira Love Cartier. Foto: divulgação.

Por trás das grandes empresas existem sempre profissionais de muito talento. O livro “Assouline Cipullo: Making Jewelry Modern”, lançado recentemente, nos permite conhecer  a biografia completa de Aldo Cipullo, design de joias famoso por seu trabalho na Tiffany e Cartier. 

O italiano aprendeu o ofício ainda criança, trabalhando na fábrica de bijuterias de seu pai, em Roma. Mas foi com sua mudança para Nova York, em 1959, que ele conseguiu desenvolver seu talento para a criação e desenho de joias.

Na cidade trabalhou para David Webb, famoso joalheiro que tinha entre suas clientes Liz Taylor e Jacqueline Kennedy. Logo depois Aldo trabalhou para a Tiffany, onde mergulhou em sua criatividade criando peças altamente decorativas, com destaque para a presença da fauna e flora em suas joias. Mas Tiffany não se interessou pelo design da pulseira Love, conhecida por celebrar o início do amor moderno na joalheria.

Assim ele ofereceu seu design à Cartier, que prontamente se interessou por ele e começou a trabalhar para a marca, onde se tornou famoso na mídia por causa do sucesso da pulseira e de outras produções que vieram a seguir. O momento histórico no qual aconteceram suas produções para a maison, os anos 70 em Nova York, reverberaram em seu trabalho, que teve influências do pop art, movimento feminista, minimalismo, entre outros. Algumas jóias, porém, se tornaram atemporais, como a pulseira que celebra o amor nos tempos modernos

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado