Peças roubadas em museu são vendidas na dark web

Entre os objetos está um diamante de 49 quilates

Caroline Sanches

Desde que conjuntos de joias do século 18 de valor incalculável foram roubadas do Museu de Dresden, na Alemanha, o mundo joalheiro aguarda notícias sobre as peças de valor histórico que desapareceram em novembro. Agora uma pista surgiu nesse horizonte, segundo divulgou a imprensa europeia.

As notícias dão conta de que duas das peças do acervo foram colocadas à venda na dark web por € 9 milhões em Bitcoin (BTC). Segundo o texto, funcionários do grupo israelita CGI conversaram com pessoas que dizem vender duas joias roubadas do Cofre Verde, como é conhecido o museu alemão.

Entre os objetos oferecidos na rede está um diamante mundialmente de 49 quilates. A outra peça seria a mais alta condecoração da Polônia, um exemplar da Estrela da Ordem da Águia Branca.

O assalto ocorrido em novembro durou poucos minutos e teria sido registrado pelas câmeras de segurança do chamado Cofre Verde. O museu guarda alguns dos maiores tesouros da Europa e perdeu no roubo três conjuntos de joias do século XVIII.

Os conjuntos incluem uma espada cravejada de pedras preciosas, diversos broches, um colar de pérolas pertencente à realeza, todos de grande valor simbólico e histórico, conforme classificaram os responsáveis pelo museu. O Bild avaliou as joias roubadas em cerca de € 1 bilhão, valor que nunca foi confirmado pelas autoridades alemãs, que disseram ter esperanças de recuperar o acervo.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado