7 erros comuns de empreendedores iniciantes para evitar na hora de abrir um negócio

Autor do livro ‘Lições para você construir negócios exponenciais’
 revela as principais falhas que podem justificar o número de empresas fechadas com menos de um ano de atividade no Brasil

Da Redação

Foto: Freepik

Uma a cada cinco empresas brasileiras declarou falência em menos de um ano em operação. É o que revela a pesquisa Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo, realizada pelo IBGE. Ainda de acordo com o levantamento, mais de 70% dos negócios fecharam as portas com menos de dez anos de atividade.

Estes dados desanimadores não precisam (e não devem) ser a realidade de todos que sonham com o empreendedorismo. Para isso, empresários iniciantes devem evitar erros comuns, mas fatais, que podem representar a falência do negócio.

O autor do livro ‘Lições para você construir negócios exponenciais’, José Paulo Pereira ensina como ficar de fora destas estatísticas. Ele – que também é CEO do grupo Ideal Trends, um dos maiores conglomerados tecnológicos da América Latina -, lista as falhas que prejudicam o amadurecimento das empresas.

1. Não ter um plano de negócio: muitos empreendedores acreditam em um novo projeto, reservam capital para investir, mas não planejam todas as etapas. O planejamento é a chave de qualquer empreendimento. Será por meio dele que você conseguirá identificar todos os aspectos do negócio e poderá fazer ajustes conforme as mudanças de cenário.

2. Não buscar capacitação: não existe um curso superior que forme pessoas em empreendedorismo, mas o empresário precisa se capacitar e estudar diversos temas. Você deve aprender finanças, contabilidade, gestão, pessoas, comportamentos, liderança e muito mais. Assim, terá conhecimento sobre todas as áreas do seu negócio.

3. Ser desorganizado nas finanças: todo negócio começa com um orçamento. A boa gestão financeira preza pela elaboração de um fluxo de caixa e pelo registro de cada valor. Quando este processo não acontece, a saúde financeira da empresa é comprometida. Um bom empreendedor não descuida deste aspecto essencial para a longevidade do empreendimento.

4. Não estabelecer metas: sem elas, o negócio corre o risco de perder o ritmo e você ficará sem saber o que fazer para driblar as dificuldades. Defina quais são as metas operacionais para alcançar o objetivo final, que certamente será a receita. Para isso, avalie os dados disponíveis sobre os números e perfis dos clientes e as transações da sua empresa.

5. Desconsiderar os concorrentes: analisar a concorrência, de forma objetiva e sem arrogância, é muito importante. Avalie os posicionamentos, estratégias, respostas dos consumidores, políticas de preços, etc. Não ignore o fato de que, se o concorrente está no mercado, é porque entende a área.

6. Misturar as contas pessoais com as do negócio: este é um erro comum, especialmente, no início do negócio. A visão de dono pode dar a falsa impressão de que o dinheiro da empresa deve ser usado naquilo que você bem entender, mas isso não é prudente. A utilização destes valores para o pagamento de contas pessoais é um erro que deve ser evitado a todo custo.

7. Não divulgar o negócio corretamente: nunca pense que você tem um excelente negócio e que ele se vende sozinho. A divulgação é uma forma de apresentar e fortalecer a marca. Pense em estratégias de marketing e tenha uma equipe comercial engajada no propósito da empresa.

Além desses erros, José Paulo aponta uma qualidade fundamental que os empreendedores devem ter: comprometimento. “Empreender significa ter muita dedicação, muita garra, muita vontade. É a renúncia por uma paixão. São horas e horas que você poderia estar com a sua família, passeando, se divertindo, mas você vai estar debruçado sobre um plano de negócios, uma estratégia e fazendo reuniões para as coisas avançarem”, analisa.

 

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado