Com 15,1 quilates, ‘The De Beers Cullinan Blue’ deve quebrar recorde de vendas

O diamante é o maior e um dos únicos cinco de cor azul com mais de 10 quilates a ser leiloado

No próximo dia 22, em Hong Kong, a Sotheby’s leiloará um dos mais valiosos diamantes azuis, o ‘The De Beers Cullinan Blue’.  Com uma estimativa inicial de venda de R$ 247,5 milhões (US$ 48 milhões), a gema tem 15,19ct, com uma impecável lapidação que exibe um extraordinário azul vívido.

Fonte: Divulgação Sotheby´s

De acordo com a Sotheby´s, a gema alcançou as classificações mais altas em cada um dos critérios pelos quais a qualidade de um diamante colorido é julgada. É Fancy Vivid Blue – a maior classificação de cor, concedida a não mais de 1% dos diamantes azuis submetidos ao Gemological Institute of America (GIA). Também possui clareza excepcional, tendo sido declarado internamente impecável pelo GIA. Além disso, tem um excelente polimento e é do tipo IIb, uma categoria rara que representa menos de 0,5% de todos os diamantes. Acrescentando ao fascínio do diamante está a sua lapidação, que é imensamente procurada em cores raras.

Fonte: Divulgação Sotheby´s

Entre os mais raros de todos os diamantes coloridos, os azuis têm essa cor devido aos vestígios do elemento boro dentro da sua estrutura. “Os diamantes azuis de qualquer tipo são raros no mercado, mas este é o mais raro dos raros; nada de calibre remotamente semelhante apareceu em leilão nos últimos anos”, disse Patti Wong, presidente da Sotheby’s Asia. “Centenas de milhões de anos em construção, este extraordinário diamante azul é certamente uma das melhores criações da natureza.”

O ‘The De Beers Cullinan Blue’ tem ainda mais um fator que colabora para a sua raridade: apenas cinco exemplares de diamantes azuis acima de 10 quilates já foram leiloados, dos quais nenhum ultrapassou 15 quilates. “Este diamante é considerado um dos melhores que a De Beers já viu. É extremamente raro e único. Por isso, a companhia tem o prazer de se unir à Sotheby´s para trazer este diamante ao mundo, revelou Bruce Cleaver, CEO do Grupo De Beers.

Mina Cullinan: a origem do ‘The De Beers Cullinan Blue’

O The De Beers Cullinan Blue’ foi descoberto em abril de 2021 na mina Cullinan, localizada na África do Sul. A De Beers e a lapidadora de diamantes Diacore compraram juntas o bruto de 39,34 quilates por R$ 207,2 milhões (US$ 40,18 milhões).

Fonte: Petra Diamonds

A mina Cullinan, de propriedade da Petra Diamonds (sede no Reino Unido), que a adquiriu da De Beers em 2008, tem sido a principal fonte mundial de diamantes azuis raros. Além de ter originado todos os diamantes azuis ‘De Beers Millennium’, ela rendeu muitos dos diamantes mais famosos do mundo, incluindo o Great Star of Africa de 530 quilates, o maior diamante incolor facetado do mundo.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado