Como precificar a pérola

Vários são os critérios de valorização desta gema orgânica

Erica Mendes

O valor de uma pérola natural ou cultivada é determinado por seis fatores: espessura do nácar, formato, brilho, superfície, tamanho e cor. E para as joias com duas ou mais pérolas, é avaliada ainda a correspondência entre elas. No entanto, a importância de cada um dos fatores pode variar entre os diversos tipos de pérolas.

Espessura do nácar

A espessura da camada de material perlífero é avaliada para garantir que as pérolas cultivadas sejam duráveis e bonitas. Essa espessura pode ser observada através de raio X. Se o núcleo é visível sob a nácar ou se a pérola tem uma aparência opaca, é possível que o nácar seja fino. Isso afeta o brilho, bem como a durabilidade da pérola, pois os exemplares recobertos por finas camadas descascam com facilidade.

Formato

As pérolas podem se apresentar em oito formatos: redonda, semi redonda, botão, gota, pêra, oval, barroca e circular. Os exemplares perfeitamente redondos são raros e, portanto, mais caros. Na sequência, as gotas simétricas também são as mais valorizadas.

Brilho (Lustre)

O brilho da pérola é proveniente do reflexo da luz sobre a sua superfície. Ele depende da regularidade, da espessura e da disposição das camadas perlíferas. Quanto maior o brilho, mais valiosa a pérola.

Dos seis fatores de valor da pérola, o brilho pode ser o mais importante, pois é ele que dá tanto à pérola natural quanto à cultivada a sua beleza única. Se na avaliação, os outros cinco fatores forem iguais, é o brilho quem determinará a precificação final. No entanto, diferentes variedades de pérolas têm diferentes padrões para o brilho.

Superfície

A superfície do material perlífero deve ser lisa, sem saliências ou depressões.

Se ela apresentar arranhões ou outras características numerosas ou severas pode afetar a durabilidade da pérola e deprimir gravemente seu valor.

Apesar disso, a avaliação pode ser menos prejudicada em relação à beleza e valor se essas características forem pequenas o suficiente para ficarem escondidas por um furo ou na montagem.

Tamanho

O tamanho de uma pérola é medido por seu diâmetro e pode variar muito. As cultivadas vão de 2 a 16 mm, dependendo do molusco usado. Em geral, quanto maior a pérola, mais valiosa ela é. Porém, é importante ressaltar que variedades diferentes têm tamanhos diferentes, a exemplo das pérolas cultivadas South Sea que são naturalmente maiores.

Quando outros fatores de valor são iguais, as pérolas maiores são mais raras e mais valiosas do que as menores do mesmo tipo.

Cor

As tonalidades das pérolas são muitas. As mais recorrentes são branca, champanhe, cinza, negra, amarelada, rosa, verde e azul, variando sua maior ou menor aceitação de acordo com cada país. As mais procuradas são as brancas, rosadas, prateadas e negras. O brilho e a iridescência do arco-íris conhecida como oriente também valorizam a cor de uma pérola.

Nas joias onde são usadas diversas pérolas é muito importante a uniformidade entre elas em todos os seus fatores de qualidade, pois o quão bem as pérolas combinam (ou misturam) afeta diretamente o seu valor.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado