Divisão de joias e relógios da LVMH registra queda em função da pandemia

As receitas de relógios e joias das marcas do grupo caíram 26%

Por Gabriel Moura

Como já era esperado, a pandemia do Covid-9 afetou a receita das grifes de luxo em todo o mundo. O que não se sabia até então era o quão vertiginosa havia sido essa queda. Pelos resultados divulgados pela gigante de luxo LVMH Moët Hennessy Louis Vuitton, já é possível termos uma ideia.

A divisão de joias e relógios caiu 26% no primeiro trimestre de 2020. Outros negócios do conglomerado tiveram queda nesse período de 17%. A Bulgari, uma das marcas com melhor desempenho do grupo, viu um declínio nas vendas devido principalmente ao fechamento de lojas, principalmente na Ásia, bem como a restrições de viagens. Enquanto isso, os pedidos de varejo foram reduzidos e atingiram a TAG Heuer e a Hublot, que tiveram bom desempenho no começo do ano.

A LVMH também divulgou que o fechamento de suas instalações, fábricas e lojas, nesse primeiro semestre do ano, afetará sensivelmente suas receitas anuais. “Só podemos esperar que a recuperação ocorra gradualmente a partir de maio ou junho, após um segundo trimestre, que ainda será muito afetado pela crise, principalmente na Europa e nos EUA”, declarou o conglomerado.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado