E-commerce de joias adota selo de carbono neutro no setor de logística

Certificação compensa a emissão de gás poluente durante entregas das compras com ações ambientais.

Por Max Tavares

Foto: G1

O setor de logística de e-commerce está usando uma nova estratégia para se aproximar dos clientes: o selo de carbono neutro, que compensa a emissão de gás poluente com uma ação ambiental.

Pouca gente se dá conta, mas fazer uma compra pela internet sem sair de casa também gera poluição. A maioria dos veículos usados na entrega emite gases do efeito estufa.

A empresária Stephanie Stein, dona de um e-commerce de joias, investiu no marketing verde. Uma das certificações que ela exibe no site é o selo de carbono neutro.

“Adquiri o selo de reciclagem e encontrei o selo de neutralização para compensar frete da produção de minhas peça”, conta Stephanie.

O selo foi lançado pela startup do Daniel Drapac, que comercializa softwares de gestão para e-commerces.

“O selo significa que naquela compra, o que foi gerado de emissão de CO2 eu tive a contra partida de comprar a quantidade de crédito para compensar isso”, explica Daniel.

Diferencial verde

O selo é bom para o meio ambiente, bom para as vendas e virou um diferencial na hora de conquistar clientes para um e-commerce. Com a certificação, a empresa mostra que investe em entrega consciente e num futuro mais verde.

Todo CO2 emitido pela empresa ou pela sua logística é quantificado e compensado, na mesma proporção, em uma ação ambiental, como preservação florestal ou reflorestamento.

A emissão de uma tonelada de CO2, por exemplo, equivale ao plantio e crescimento de seis árvores por 15 a 20 anos.

Durante a pandemia, a procura pela certificação de carbono neutro subiu 40%. O faturamento da startup este ano pode chegar a R$ 3 milhões.

“É impressionante como é um produto que tem apelo, independente do tamanho do negócio. Temos clientes como pequenos artesãos, que pensam nessa cadeia limpa, e grandes empresas nacionais com volume de entrega. É bom para o pequeno e para empresa grande”, afirma Daniel.

O selo foi criado em parceria com uma consultoria de sustentabilidade. Ela recebe os créditos e repassa para algum projeto ambiental certificado pelo Protocolo de Kyoto.

O crédito de carbono é cobrado no frete, gira em torno de R$1,60 e pode ser pago pelo cliente ou pela empresa, como o e-commerce de joias da Stephanie faz.

Com o transporte consciente, a empresa quer diminuir a emissão de carbono em até 20%.

“Empresas que se preocupam com isso a médio e longo prazo vão ter mais valor agregado. É cuidar da nossa pedra mais preciosa que é o planeta. Não tem planeta reserva, temos que cuidar agora”, diz Stephanie.

Fonte: G1

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado