O novo normal na indústria de diamantes

Influências dos hábitos da pandemia e a contínua recuperação do setor moldarão o mercado de diamantes em 2021

Por Clara Lemos

Foto: Pexels e Unsplash

Com a esperança que a vacina da Covid-19 está trazendo para o mundo, o mercado de diamantes está se recuperando de forma comedida. As tendências para o mercado esse ano terão influências dos novos hábitos adquiridos na pandemia e recuperação contínua. As reuniões virtuais, marketing digital, e-commerce, mais atenção à sustentabilidade e rastreabilidade darão o tom do comércio global de diamantes.

O mercado mundial de diamantes sofreu baixas na pandemia, uma vez que bloqueios e medidas de distanciamento social restringiram o fluxo usual do comércio. Feiras de exibição e envios de encomendas foram prejudicadas por essas medidas, e as fábricas operaram de maneira enxuta. Com isso, o mercado sofreu baixa de 80% no número de vendas, porcentagem muito expressiva para o setor.

Mas apesar das baixas que a crise causou, o mercado de diamantes percebeu que poderia melhorar sua logística. Com o impedimento de enviar o diamante a longas distâncias, como acontecia anteriormente, os varejistas de diamantes observaram que o processo poderia ser simplificado por meio de plataformas online, que são eficientes e econômicas. Essa é uma tendência que certamente permanecerá.

Mas uma das principais características do comércio de diamantes é ser baseado na confiança e no relacionamento, valores difíceis de cultivar apenas no online. Por isso, a tendência do comércio será funcionar de forma híbrida, com feiras presenciais para estabelecer contatos e avaliar mercadorias, e o conforto e comodidade de realizar compras em casa, por meio de plataformas digitais.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado