Encontradas 200 toneladas de ouro no fundo do mar

Navio de guerra russo, naufragado há 113 anos, foi encontrado com R$ 300 bilhões em ouro

Débora Rodrigues

Foto: Shinil Group

Enquanto no mar brasileiro se encontra óleo, na costa da Coréia do Sul uma equipe descobriu destroços de um navio de guerra russo que há 113 anos estava perdido e, junto com ele, uma bagagem de 200 toneladas de barras e pepitas de ouro. trata-se do cruzeiro da marinha imperial russa de Dmitrii Donskoi afundado durante uma batalha naval. Ele foi descoberto há mais de 1400 metros de profundidade ao longo da ilha sul-coreana de Ulleungdo.

Historiadores afirmam que o navio teria naufragado com 5500 caixas de barras de ouro e com moedas a fim de impedir a conquista do tesouro pelos japoneses. Há relatos históricos que revelaram que Dmitrii Donskoi carregou o tesouro de toda a frota, o que incluía o salário dos marinheiros e oficiais, bem como taxas de porto.

Reservas de vários outros navios que foram danificados durante a batalha também podem ter sido transportadas pelo navio de guerra. A empresa de busca por tesouros da Coreia do Sul, Shinil Group, gastou vários anos tentando encontrar o navio. Agora ela está preparando uma operação conjunta com empresas chinesas, canadenses e britânicas para recuperar o tesouro.“Dmitrii Donskoi” foi lançado em 1883.

O navio de 90 metros de comprimento e 15,8 metros de largura afundou junto com uma tripulação de 515 pessoas. No arsenal de Dmitrii constava artilharia de navio e vários tubos de torpedos. O navio entrou numa batalha ilegal com vários cruzeiros japoneses dia 14 de maio de 1905 na costa da Coreia. Dois dias mais tarde a equipe, que se recusou a render-se aos japoneses, inundou o navio.

O Grupo Shinil, que dirigiu a exploração submarina e que possibilitou a descoberta do navio, calcula que o ouro que ainda repousa no porão do navio teria um valor hoje estimado em 300 bilhões de reais. Metade do tesouro encontrado a bordo do cruzeiro será devolvido ao governo russo, indica o grupo Shinil. Apenas 10% do montante restante será investido em projetos turísticos na ilha de Ulleungdo, onde um museu dedicado ao navio será fundado.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado