Iguais, mas com diferenças

Estudo descobre que os diamantes de laboratório têm mais carbono que pedras naturais

Débora Rodrigues

Os diamantes feitos em laboratório têm uma quantidade de carbono maior do que os diamantes extraídos naturalmente. Essa é a conclusão de um segundo um estudo feito por uma associação que representa os interesses de empresas como De Beers, Rio Tinto e Alrosa.

A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos, que investiga alegações de propaganda enganosa, enviou cartas de advertência a oito empresas de diamantes criados em laboratório no início de abril. A preocupação é com o uso de termos ecológicos ou semelhantes para descrever diamantes feitos em laboratório, um processo que requer temperaturas muito altas.

Enquanto os diamantes naturais têm um alto impacto ambiental, uma análise realizada pela Trucost, parte da S & P Global, para a Diamond Producers Association (DPA), descobriu que a intensidade de carbono dos diamantes naturais era menor, disse uma matéria publicada na Reuters.

A DPA representa sete das maiores mineradoras de diamantes do mundo, incluindo a Alrosa, a unidade da Anglo American, De Beers, e a Rio Tinto, que representam cerca de 75% da produção mundial de diamantes.

A De Beers lançou no ano passado sua própria linha de diamantes de laboratório voltados ao consumidor, com a marca Lightbox, que são produzidos em suas instalações Element Six – originalmente fundada para produzir diamantes manufaturados para fins industriais. Bruce Cleaver, CEO da De Beers, disse que os preços dos diamantes de laboratório declinaram em até 60% após o lançamento do Lightbox, o que evidencia que o mercado estava de acordo com os diamantes extraídos naturalmente.

“Anunciamos a Lightbox em junho de 2018 e vendemos nosso primeiro diamante no final de setembro; e só venderemos 20 mil quilates no total até o final de 2019, antes que nossas instalações em Oregon entrem em operação”, disse Cleaver. “Desde que começamos, a oferta Lightbox teve um impacto tremendamente positivo no preço”, disse ele.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado