Joias não viram lixo

Joalheiros cariocas são desafiados pela AJORIO a transformarem uma antiga joia em uma nova peça

Fabricantes, lojistas e designers cariocas estão sendo desafiados pela AJORIO a transformarem aquela joia que estava escondida no fundo da gaveta em uma nova peça realmente admirável. Essa é a proposta do concurso ‘Joias que não viram lixo’, lançado no último dia 22, na sede da Associação, e que traz à tona a importância simbólica da joia e como ela conta a história da humanidade.

Com o objetivo de exaltar a capacidade criativa dos joalheiros do Rio de Janeiro, o projeto, que tem o apoio do IBGM, vai destacar os valores dos diferentes atributos da joalheria, tais como marca do estilo pessoal; marca do capital cultural, do design e do estilo de uma nação; marca de experiência extraordinária de consumo; registro de afeto, herança; história objetiva; entre outros.

Para Regina Machado, curadora do projeto, a permanência das joias e a sua vocação à eternidade, convida os seus criadores a refletirem sobre as questões contemporâneas, como a preocupação com o meio ambiente e o social, e a atualizarem o sentido deste bem precioso. “O capital material da joia tem duração e o seu valor é constantemente atualizado, assim como a sua linguagem simbólica e seu capital estético e afetivo podem e devem estar em constante diálogo com as atuais e futuras gerações”. E ainda completou: “as joias falam e, como toda linguagem viva, absorvem e promovem inovações. Saber realizá-las é o desafio deste concurso”.

Sobre o concurso

Até 06 de setembro

Os interessados deverão enviar suas joias antigas para à sede da AJORIO para a primeira sessão de fotos, visando o registro do estado atual da peça. As peças estarão disponíveis para retirada no dia 11 de setembro.

Até 02 de outubro

Os participantes terão até essa data para dar um novo visual à joia escolhida para o retrofit. É permitida a inclusão de um pequeno percentual de novos materiais (preciosos ou não), desde que não participem de forma predominante do resultado da criação, a fim de não descaracterizar totalmente a peça original.

A nova joia deverá ser entregue à Associação, que fará nova sessão de fotos para o comparativo do antes e depois.

Um júri técnico fará a curadoria das peças já prontas e, dentre estas, serão selecionadas as cinco que mais atenderem aos seguintes critérios:

·  Melhor aproveitamento do material.

·  Melhor aproveitamento do estilo do design

·  Melhor aproveitamento da técnica, em respeito ao trabalho da ourivesaria e da cravação.

De 14 a 22 de outubro

As cinco peças que forem escolhidas pelo júri técnico serão votadas pelo júri popular por meio das redes sociais da AJORIO e também durante a realização do VI Seminário Atualização Tecnológica e o Setor de Joias e Bijuterias, cujo tema será Sustentabilidade, dia 22 de outubro, na Casa Firjan.

A divulgação dos vencedores acontecerá no encerramento do Seminário e contemplará 1º, 2º e 3º lugar. A premiação ainda não foi divulgada, mas é certo que os vencedores terão amplo destaque na imprensa.

Serviço:

Informações adicionais sobre o Concurso podem ser obtidas pelo e-mail dayanaantunes@ajorio.com.br

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado