Lápis-Lázuli ganha atenção de consumidores jovens

Gema azul conquista público que busca joias

Por Carolina Sanches

Divulgação Lápis-Lázuli

Por gerações, o trio clássico de gemas, composto pelo rubi, esmeralda e safira dominou o desejo das coleções de joias. Agora, a geração do milênio está se abrindo para pedras que até então eram consideradas “alternativas”, como o lápis-lázuli.

A gema é conhecida por seus tons de azul profundo, resultado da lazurita, um mineral de silicato azul. Seu charme extra vem por conta das manchas douradas, que lhe garantem uma aparência de “noite estrelada”, uma cortesia da pirita.

O lápis-lazúli é encontrado principalmente na Rússia, Afeganistão e Chile, mas o amor por ele  abrange diversos países e civilizações. A pedra faz parte de vários tesouros que pertenceram às figuras reais, seja no antigo Egito, na Europa medieval ou nas sociedades orientais. Simbolizando autoridade e honra, divindade e poder, espírito e visão, apareceu em joias e até em roupas.

Hoje, é comumente cortado em cabochões, esculturas ou contas. Tendo ficado fora do radar por alguns anos, está de volta às joias e os designers estão ficando mais criativos do que nunca.

Tanto sucesso levou o lápis-lázuli a brilhar na alta joalheria. A Louis Vuitton colocou a gema em destaque em sua coleção, combinando um disco de lápis-lazúli com diamantes e outras pedras preciosas. Um luxo atual e contemporâneo, do jeito que os Millennials adoram.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado