Millennials e a busca pela sustentabilidade podem mudar o comércio de joias

Estudo revela que 72% dos millennials são mais propensos a gastar dinheiro em experiências do que bens materiais

Débora Rodrigues

A geração de Millennials está ficando conhecida como aquela que tem obrigado a indústria a mudar sua maneira de vender. As tendências de compra dessa faixa etária tem trazido uma série de incertezas para as companhias, incluindo da cerveja, guardanapos e das joias!

O poder de compra dessa geração não pode ser subestimado. Mas à medida que mais indústrias tomam medidas para entender a mente do consumidor milenar, é natural imaginar se a joalheria atende ao que esse novo consumidor deseja.

Tem sido natural surgirem pesquisas para tentar responder a essa e demais perguntas. Uma pesquisa publicada pela Deloitte mostrou que 84% dos millennials avaliam que é seu dever mudar o mundo. Isso sugere que o ambientalismo, a mudança climática e as violações dos direitos humanos têm sido alguns dos temas que permeiam o discurso desses jovens. É provável que essas discussões afetem o modo como os millennials escolhem suas carreiras e gastam seu dinheiro.

Estudos mostram que 72% dos millennials são mais propensos a gastar dinheiro em experiências do que bens materiais.  Claro, os millennials ainda estão comprando, mas uma tendência crescente em direção à sustentabilidade e ao ambientalismo significa que eles estão comprando de forma muito diferente. Se os millennials querem mudar o mundo, estão pensando em como podem fazer isso com suas compras. Cada vez mais, eles buscam produtos  produtos com baixo impacto ambiental e cadeias de suprimentos transparentes.

Lentamente, a indústria de joias começou a explorar opções sustentáveis ​​em resposta às tendências do milênio. Mais joalheiros estão escolhendo parcerias com organizações certificadas e que garantam que os mineiros sejam pagos de forma justa pelo seu trabalho. Isso lhes permite colher plenamente os benefícios de vender seu ouro em um cenário global. No ano passado, a IBM foi reconhecida pela introdução da TrustChain, a mais recente tecnologia de blockchain, que permite que os consumidores rastreiem uma peça de joalheria em toda a sua cadeia de suprimentos, garantindo transparência e produção ética. Finalmente, embora ainda haja alguma consternação em relação aos diamantes produzidos em laboratório, pesquisas mostram que 21% dos millennials têm maior probabilidade de comprar um diamante cultivado em laboratório do que um tradicional.

Como a Geração Z segue os passos da geração do milênio, é provável que essas iniciativas se tornem mais do que tendências. Na verdade, é fácil imaginá-los se tornando normas da indústria. A geração do milênio está começando a responsabilizar mais marcas e são muito menos influenciados pela propaganda do que as gerações anteriores. Em pesquisas realizadas pela empresa Medium, menos de 1% dos millennials disseram que um anúncio os faria confiar em uma marca. Em vez disso, mais e mais pessoas querem transparência e sustentabilidade, estando dispostos a pagar por isso. Assim, a indústria joalheira e as demais precisam pensar como responder a essa demanda.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado