Mina de ametista se transforma em ponto turístico

O complexo aproxima os visitantes do universo precioso das gemas

Por Débora Rodrigues

Um complexo turístico no município de Ametista do Sul (RS) tem explorado um conceito novo dentro da indústria do turismo e joalheira ao mesmo tempo. Ali, às margens da estrada EWRS-591, foi montado o Belvedere Mina, um local com cerca de 900 metros quadrados de área construída, formado por hotel, lojas de pedras preciosas, garimpo em atividade, fábrica de lapidação e o primeiro e único restaurante subterrâneo temático do mundo que funciona em uma mina desativada de pedras ametista.

As paredes de um garimpo desativado foram aproveitadas para formar o ambiente rústico do restaurante Belvedere Mina. As mesas que tomam o espaço trazem detalhes em pedra rolada e in natura. Formações rochosas do subterrâneo, oriundas da extração da pedra ametista, despertam a sensação de prazer e aventura, contemplando a beleza e a naturalidade do local.  Ali, a temperatura varia entre 18 e 20 graus e o visitante pode passear entre fontes de água, luminárias temáticas e contemplar várias ametistas ainda incrustadas nas paredes.

A ideia de aproveitar uma mina abandonada começou em 2016, segundo Jucemar Cadena, um dos proprietários. Vendo o crescimento do turismo na cidade por conta da extração da ametista, ele enxergou no local uma oportunidade de mostrar a relevância da pequena Ametista do Sul tanto para a indústria de mineração e como a de turismo. “Sempre achamos que esse espaço seria bom, mas nos surpreendemos”, disse ele. “Tem pessoas de todo o Brasil vindo conhecer o espaço por sua beleza”. Segundo ele, a ideia é oferecer no mesmo espaço um atrativo natural complementado por boa comida e bebidas.

O hotel concentra 44 vagas em 19 quartos. Cozinha industrial, móveis novos, tudo à disposição do visitante. Mas além de explorar a estrutura única, o visitante pode ainda participar de uma experiência única: percorrer as galerias de um garimpo ativo e conhecer o processo de extração de pedras ametistas, além de participar dentro da fábrica do beneficiamento da pedra para comercialização. O investimento no espaço continuará e de acordo com Cadena, com o tempo outras atrações passarão a ser oferecidas dentro do complexo.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado