O dilema da inovação

Livro analisa o que faz as empresas terem sucesso enquanto outras que usam novas tecnologias vão ao fracasso

Gabriel Moura

Você tem a sensação de que está fazendo tudo certo na empresa, mas ainda assim falta alguma coisa? Nesse caso vale a pena dedicar algumas horas para ler o clássico “O Dilema da Inovação”, considerado um dos 6 livros de negócios mais importantes dos últimos 50 anos. Escrito por escrito Clayton Christensen, em 1997, a obra é um clássico que se mantém atual por discutir questões essenciais ao sucesso das empresas.

O livro trata do famoso conceito de inovação de ruptura e inovação incremental, apresentando diferenças cruciais para o desenvolvimento das empresas. Para começar, o autor já questiona o porquê empresas que seguem todas as boas práticas de gestão, atuando da forma correta, muitas vezes não chegam ao sucesso? Seguir o protocolo da forma tradicional, ouvindo os clientes, investindo em tecnologia e analisando o mercado, pode levar ao fracasso. A “culpa”, nesses casos, é da inovação de ruptura.

Segundo o autor, inovação de ruptura ou inovação disruptiva se refere a uma grande mudança no mercado. É trazer uma tecnologia que antes estava na mão de poucos e proporcioná-la para muitos. Geralmente, inovações disruptivas transformam o mercado para algo mais simples e mais prático para o consumidor.

A obra obriga o leitor a pensar em práticas consagradas, como a teoria de que o cliente tem sempre razão. Christensen  defende que não se deve considerar tudo que os clientes querem. Isso porque nem sempre eles sabem o que querem ou precisam. A quebra desse e outros paradigmas apresentados ao longo do livro fazem com que a obra seja realmente uma aliada importante para o empresário repensar o seu negócio.

Para comprovar suas teorias, Christensen mostra diversos exemplos nos mais variados mercados e demonstra de que maneira grandes empresas devem agir para manter um crescimento sustentável. Vale a leitura!

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado