O lendário sutiã de ouro de 18k

Zoë Kravitz para a internet e direciona os holofotes para a história de Elsa Peretti

Débora Rodrigues

Zoë Kravitz continua sendo o tema principal da festa Vanity Fair Oscar, realizada no Wallis Annenberg Center for Performing Arts, na Califórnia, após aparecer vestindo um sutiã feito de malha de ouro 18 quilates. A peça acompanhava uma saia longa preta Saint Laurent que começava logo abaixo do umbigo. Para complementar seu look, a atriz, modelo e cantora usou outros metais preciosos, incluindo cinco pulseiras de platina com diamantes que variam de US $ 15.000 a US $ 55.000. Havia também três anéis atraentes, todos em platina e cobertos de diamantes. Em outras palavras, o visual dela deu um novo significado à ideia de um momento de moda dourada.

Depois da aparição todos quiseram conhecer melhor a história daquele top de sutiã incomum. A peça faz parte da coleção Elsa Peretti Mesh, que foi usada pela primeira vez como um bralet de ouro na década de 1970. A ex-designer de joias que virou modelo, que trabalha com a Tiffany & Co há mais de quatro décadas, se inspirou na “atmosfera bela e exótica” que encontrou em uma viagem para a Índia para a coleção original dos anos 70.

Durante uma viagem a Jaipur, ela onde viu a malha sendo confeccionada à mão e ficou encantada pela ideia. No entanto, o problema era como fazer essa mesma malha em Manhattan.

Ao retornar de viagem, Elsa entrou em contato com o diretor do departamento de joias do Instituto de Tecnologia da Moda, Samuel Beizer, para ver se ele poderia ajudá-la a descobrir uma forma de produzir a peça. Juntos eles descobriram máquinas que foram inicialmente utilizadas para a fabricação de malhas de metal para sacos de dormir, nos primeiros anos do século 20, e usaram esses maquinários para fazer o primeiro sutiã. A confecção foi tão meticulosa que não havia costuras entre os elos que compõem a malha.

O grande amigo e colaborador de Elsa, o estilista Halston, adotou o sutiã de malha em uma de suas apresentações no outono de 1975. A peça estava estilizada e era usada sob uma camisa aberta de botões. O visual foi recriado para a exposição do Instituto de Tecnologia de Moda de 2015, Yves Saint Laurent e Halston: Fashioning the 70’s com uma malha de prata da Elsa Halter Bras da coleção da Lally Weymoth. Depois do desfile de Halston de 1975, Elsa relembrou: “A Tiffany foi inundada de telefonemas de pessoas morrendo de vontade de obter um sutiã de ouro”. E a coleção Elsa Peretti Mesh nasceu gloriosa.

Elsa Peretti é uma mulher que sempre foi considerada chique sem precisar fazer esforço e é um dos maiores nomes do mundo da joalheria. Trabalha com a Tiffany’s exclusivamente desde 1974, criando joias inspiradas nos mais diversos materiais e objetos: desde feijões, ossos, corações, pingentes de garrafa para segurar uma única gardênia e escorpiões. “Um grande colar de diamantes é noveau riche. Pessoas que tiveram riqueza por muito tempo não usam tais coisas.” Elsa Peretti disse, falando sobre as tendências e escolhas do novo consumidor.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado