O que a joalheria mostrou em Cannes?

Além de muito glamour, pinceladas de modernidade deram o ar da graça nas joias do red carpet 

Erica Mendes

O Festival de Cinema de Cannes é sobre filmes, mas são as joias que brilham no red carpet. E na 72 ª edição, que terminou no último domingo, 25, não foi diferente.

A alta joalheria mostrou suas peças mais icônicas da temporada (primavera-verão europeu), que influenciarão as criações em todo o mundo. Mas não foram só as grifes internacionais que estiveram nos holofotes. A marca brasileira Silvia Furmanovich teve uma entrada inesquecível no tapete vermelho ao adornar a atriz Maria Fernanda Cândido com um par de brincos de ouro rosè 18k, rubelitas e pena de ave pintada a mão da coleção Botânica.

Fotos: Matt Winkelmeyer/Getty Images

O destaque deste ano, sem dúvida, foram os diamantes, incluindo os Lab grown. A pedra preciosa reinou, quase em absoluto, na maioria dos looks. Até as grandes casas joalheiras, como a Bulgari – que tem em seu DNA o colorido das gemas – apresentou também joias cravejadas apenas com diamantes brancos.

Penélope Cruz exibiu par de brincos adornado por diamantes de 3 quilates criados em laboratório, considerados os maiores diamantes lab grown que já apareceram no Festival. A joia é uma co-criação da atriz espanhola com a Swarovski. Foto: Tony Barson / Filmmagic/Getty Images
Selena Gomez estava de colar e anel de platina com quase 100 quilates de diamantes da coleção Cinemagia da Bvlgari. O uso das parures também foi visto em outras celebridades. Será que voltará o uso de conjuntos? Foto: Getty Image
Taylor Hill apareceu plena com colar ‘Soir de Fête’ de ouro branco 18k todo cravejado de diamantes da Chaumet.

Uma análise mais profunda aponta ainda alguns cenários que podem se confirmar em breve:

Looks monocromáticos

Diversas celebridades, incluindo as brasileiras, apostaram no visual monocromático, escolhendo joias com pedras preciosas na mesma cor de seus trajes.

Bella Hadid optou por brincos cravejados com 14,8 quilates de rubis e diamantes da Bvlgari. Foto: Getty Image
A modelo brasileira Adriana Lima harmonizou seu vestido com os brincos da coleção Red Carpet da Chopard feitos de titânio 92,06 quilates de tanzanitas. Foto: Getty Images 
Julianne Moore combinou o verde de sua roupa com par de brincos de ouro branco 18k cravejados com 48,84 quilates de esmeraldas e diamantes da coleção Red Carpet da Chopard. Getty Images

Diferentes formas de uso

Desde a edição de 2018, as modelos estão tentando quebrar as regras de uso dos colares, mostrando que a joalheria pode ser mais irreverente. Em 2018, a brasileira Alessandra Ambrosio valorizou o decote nas costas de seu vestido usando um colar invertido da joalheria suiça De Grisogono com 15 esmeraldas lapidadas em cabochão, 65 pedras de ônix lapidadas, 1.349 esmeraldas e 1.416 diamantes branco.

Esse ano foi a vez da dinamarquesa Josephine Sriver apostar em um longo colar de esmeralda e pingente de diamantes e esmerada na lapidação gota, pendurado nas costas.

Outros materiais

A alta joalheria vem tentando imprimir contemporaneidade às suas peças, ousando inclusive em suas matérias-primas. A Chopard fez questão de colocar em cena suas joias confeccionadas com titânio.

A brasileira Izabel Goulart brilhou com par de brincos de titânio cravejados de rubis, safiras rosas e diamantes da coleção Haute Joaillerie da Chopard. Foto: Reprodução/Instagram @chopard
Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado