Mais de 100 milhões de consumidores vão comprar em lojas com Realidade Aumentada até 2020

Pesquisa da consultoria mais influente da área de tecnologia aponta que essa inovação vai sacudir o varejo em todo o mundo

Da Redação

O Gartner Inc, empresa mais influente no mundo da área de TI, aponta que em breve o varejo será sacudido pela Realidade Aumentada (AR) e a Realidade Virtual (VR).  A grande mudança se dará na experiência dos consumidores, que terão ofertas individualizadas, permitindo que os clientes visualizem os produtos em diferentes configurações. Até 2020, mais de 100 milhões de consumidores irão comprar em lojas on-line baseadas em Realidade Aumentada, de acordo com os últimos levantamentos do Gartner.

“Os varejistas estão diante de uma crescente pressão para explicar o propósito das lojas físicas e assumir o controle do processo de atendimento e entrega de pedidos diante das novas estratégias multicanais”, diz Hanna Karki, analista do Gartner. “Ao mesmo tempo, os consumidores estão definindo progressivamente o valor fornecido pelas experiências que recebem dos varejistas. Como resultado dessas pressões, os varejistas estão se voltando para soluções de AR e VR para oferecer aos clientes uma experiência de varejo unificada dentro e fora de suas lojas”.

Pesquisas do Gartner indicam que 46% dos varejistas planejavam implantar, até 2020, sistemas AR ou VR para atender aos requisitos de experiência de atendimento ao cliente. Além disso, as tecnologias por trás dessas soluções avançaram de 15% a 30%, ao longo do Gartner Hype Cycle, nos últimos 12 meses.

“O impacto da Realidade Aumentada ou da Realidade Virtual no varejo pode ser transformador”, afirma Hanna. “Os varejistas podem usar a Realidade Aumentada como uma extensão da experiência da marca para envolver os clientes em ambientes imersivos e gerar receita. Hoje, por exemplo, o aplicativo da IKEA já permite que os clientes “coloquem” virtualmente os produtos IKEA dentro do espaço dos clientes, simulando sua colocação no ambiente real. Além disso, o AR pode ser usado fora da loja, após uma venda, para aumentar a satisfação e melhorar a fidelidade dos clientes”, explica.

Com as interfaces imersivas de RV, por sua vez, os varejistas podem criar processos mais eficientes ou reduzir os custos associados ao design de novos produtos. Eles também podem aprimorar a compreensão das informações por meio de tecnologias avançadas de visualização gráfica e simulação. Atualmente, entre os projetos pilotos e exemplos de implementação podemos citar a experiência completa de compras da Alibaba, os passeios de realidade virtual da Tesco, os vídeos da Adidas para promover sua coleção de roupas para atividades ao ar livre e a parceria da eBay com a Myer para criar lojas personalizadas.

Pesquisa de 5G do Gartner indica que 66% das empresas pretendem usar 5G até 2020. As organizações esperam que as redes 5G sejam usadas principalmente para comunicações e vídeos, incluindo aplicações de Internet das Coisas (IoT) e sistemas para aumento de eficiência operacional. Os analistas do Gartner estimam que os aplicativos de Realidade Aumentada e Realidade Virtual já preparados para as novas redes 5G irão se tornam grandes condutores de novas receitas, em todos os casos de uso.

Os recursos 5G podem suportar vários modelos de utilização, melhorando as condições para renderização em tempo real para vídeo imersivo, otimização dos tempos de download e configuração e extensão de marcas e experiências de compra além das lojas físicas. “O Gartner espera que a implementação das aplicações de 5G e AR / VR nas lojas transformará não apenas o envolvimento do cliente, mas também todo o ciclo de gerenciamento de produtos das marcas”, diz Sylvain Fabre, Diretor de Pesquisa Sênior do Gartner. “O 5G pode otimizar recursos, aprimorar a análise do tráfego da loja e ativar pontos de rede que se comunicam com os smartphones dos compradores”

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado