Escassez de diamante está próxima, dizem especialistas

Estudos indicam que a escassez deverá ocorrer por volta de 2021

Débora Moura

A escassez de diamantes deve atingir a indústria nos próximos anos. Esse déficit de oferta está previsto para ocorrer por volta de 2021, de acordo com novos relatórios produzidos pelos analistas das corretoras e investidoras Berenberg e da Panmure Gordon.

Kieron Hodgson, da Panmure, disse que pode haver um déficit de 15 milhões de quilates, ou cerca de 10% da oferta global, em 2021. Os preços dos diamantes em bruto vão começar a melhorar em 2021-2022, disse Richard Hatch, da Berenberg. A escassez tem sido prevista há anos, mas nunca chegou, graças a uma e mineração zelosa. As previsões pedem que os preços dos diamantes em bruto subam em 2021 ou 2022.

Por mais de 15 anos, a indústria de diamantes tem dito ao mundo sobre uma iminente escassez de gemas, previsão que não aconteceu até aqui. Mas os especialistas das corretoras dizem que o negócio de diamantes está passando por uma espécie de mini-crise. As ações caíram em meio a uma queda nos preços das gemas mais baratas, atingidas pela oferta excessiva, pela fraca demanda e pela moeda fraca na Índia, onde quase todos os diamantes do mundo são negociados ou transformados em jóias.

Berenberg Bank, analista da indústria, diz que as mineradoras ainda precisam esperar por qualquer recuperação dos preços, prevendo que os preços dos diamantes permanecerão estáveis ​​nos próximos dois anos, seguido por um ganho anêmico de menos de 1%, em 2021. Panmure Gordon afirma que “é improvável que haja algum apoio a longo prazo para um aumento significativo na precificação média de diamantes ”.

A oferta global da gema atingiu o pico em 2006, com 176 milhões de quilates extraídos – um nível que provavelmente nunca será excedido novamente – antes de cair drasticamente durante a crise financeira global. Desde então, tem sido consistentemente superior em meio a um fluxo constante de novos projetos. Agora, poucas novas minas estão agendadas, e alguns dos antigos laboriosos do setor estão prestes a fechar no início da próxima década.

Segundo o gemólogo Daniel Berringer, que consultou um minerador indiano (o terceiro maior do mundo) se aumentar o nível de preço dos diamantes aumenta a produção. “O principal problema é o custo de explorar e lapidar. Se o preço atual se mantiver a tendência é de extrair menos diamantes a cada ano, mas com um incremento de preço a quantidade minerada aumentará”.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado