O que podemos aprender com os astronautas para lidarmos melhor com a pandemia?

Um caminho para focar no que realmente é preciso

Por Leila Navarro 

aprender com astronautas
Foto: Pexels

Uma das profissões mais incríveis da face da terra (e do universo) é o/a astronauta. Explorar o desconhecido e se jogar em situações que o ser humano desconhece grande parte é algo surreal. Um indivíduo que vai ao espaço, que desbrava o universo e vê o planeta Terra de longe, percebe de uma maneira inexplicável, a insignificância dos nossos problemas.

Uma falha, um momento errado de um astronauta é o necessário para que sua jornada termine ali. Um tubo de oxigênio mal colocado, um cálculo errado, um passo em falso será o fim para esse explorador do universo. Quando passamos por situações difíceis no nosso cotidiano, inconscientemente tornamos aquele problema muito maior do que ele realmente é.

O que conhecemos como dia e noite aqui do nossa planeta, passando 24h e repetindo, astronautas que estão orbitando a Terra, experienciam isso cerca de 16 vezes ao dia! Astronautas que habitam a base internacional espacial são obrigados a dormirem de 4 a 5 horas por dia. Pode parecer engraçado alguém ser obrigado a dormir tão pouco comparado ao que estamos acostumados, mas, com a gravidade zero, dormir é uma missão por si só; além do esforço para conseguir relaxar os músculos, astronautas necessitam amarrar-se a cama para não flutuar!

Como será que eles fazem para controlar essas informações tão diferentes da realidade que estão acostumados? Tendo essa situação em mente, os astronautas focalizam toda sua atenção e energia para realizar sua missão e sobreviver.

O mundo moderno que vivemos, muitas vezes, nos faz esquecer do nosso propósito. São milhares de distrações que nos afetam diariamente e nos distrai do que realmente importa. Use esse momento difícil como oportunidade para refletir no seu propósito. Esqueça brigas, coisas artificiais, pessoas tóxicas. Ao focar no que realmente importa, você terá energia e uma mente livre para encarar suas dificuldades de forma efetiva. Podemos utilizar grandes experiências, boas ou ruins, para nosso desenvolvimento pessoal.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado