Pérolas de água doce ou salgada?

Saiba mais sobre o cultivo das Rainhas das Gemas

Por Débora Rodrigues

Lindas e exuberantes, as pérolas são as únicas joias do mundo que nascem e crescem dentro de um organismo vivo. Na joalheria, há muitas maneiras de classificá-las, mas o local onde são cultivadas faz diferença em relação à qualidade e preço. Outro fator é que pérolas de água salgada diferem daquelas cultivadas em água doce.

Pérolas de água doce são cultivadas em mexilhões que vivem em rios e lagos.
Já as de água salgada, criadas por ostras nos oceanos. Dentre as variedades mais populares e de qualidade, as pérolas Akoya, cultivadas no Japão, China e Vietnã, provém de água salgada e são valorizadas pelo seu brilho superior e formato. Há também na joalheria as pérolas South Sea, produzidas por apenas um tipo de molusco, Pinctada Maxima, que vive entre os oceanos Pacífico e Índico. Cultivadas em água doce, as pérolas Biwa são originárias do Japão, no Lago Biwa. E são elas que tornaram as pérolas mais acessíveis do que nunca.

Atualmente, a maioria das pérolas usadas em joias são cultivadas. Isto significa que um pequeno pedaço de tecido de moluscos ou uma conta foi colocado no molusco, que cobriu com nácar. Geralmente, quanto maior o tempo de crescimento de uma pérola, melhor é o nácar formado. Assim, pérolas cultivadas por um longo tempo também são mais caras. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a maioria das pérolas de água salgada não são naturais, mas cultivada. Pérolas naturais são raríssimas e por isso, inacessíveis para a maioria das pessoas.

Pérolas de água salgada têm um revestimento de nácar mais fino, variando de 0,5 mm a 6 mm. As cultivadas em água doce, por outro lado, são feitas quase inteiramente de nácar. Outra diferença está na variedade de formas. As pérolas de água doce podem ser redondas, ovais, e de outros formatos cilíndricos. Já as de água salgada são geralmente redondas.

Pérolas de água doce são mais acessíveis por várias razões. Uma delas é que os mexilhões são maiores e podem, assim, produzir mais pérolas por vez do que as ostras. É importante notar que, ao contrário das pérolas de água doce, as de água salgada são na sua maioria redondas e têm mais brilho, duas características que contam para que sejam mais caras. Como a camada de nácar de pérolas de água doce é mais espessa, elas são mais duráveis. Pérolas de água salgada, por outro lado, são mais brilhantes e têm uma forma mais arredondada.

Ao escolher entre as duas variedades de pérolas, é preciso considerar a aparência e a durabilidade e decidir com que tipo de produto pode trabalhar, pensando em sua joalheria. O certo é que pérolas de água doce que tenham sido cultivadas usando métodos modernos geralmente combinam com o brilho e a forma de suas contrapartes vindas de água salgada, mas a um preço mais razoável.

Algumas dessas joias usadas na joalheria:

Tiffany & Co. | Colar de pérolas akoya – pérolas cultivadas com fecho em ouro branco 18k. Comprimento de 40,75 cm. Diâmetro da pérola: 6-6,5 mm. Fecho duplo.

 

Julio Okubo | Anel de ouro branco 18K com diamantes brancos, negros e pérola south sea brancas, da Coleção Reflexos.

 

Montecarlo | Anel em Prata com Perola biwa.

 

Cartier | Colar Agrafe em ouro branco, com 31 pérolas cultivadas brancas, 162 diamantes lapidação brilhante totalizando 1,52 ct.

 

H. Stern | Anel da coleção Pérolas do Gênesis em ouro amarelo e 18K com pérolas e diamantes cognac.
Amsterdam Sauer | Brincos em ouro amarelo 18k com pérolas negras e diamantes.
Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado