Safiras da Caxemira agitam leilão de joias

A pedra azul mostra que tem força para conquistar os amantes da joalheria

´Por Caroline Sanches

Ao que tudo indica, o reinado das gemas que fazem parte da trindade da alta joalheria, vai bem. O mundo pode estar do avesso, mas o desejo por joias e gemas belas permanece intacto e um dos fatos que corroboram é o interesse do mercado no próximo leilão de Bonhams, que acontecerá em Nova Iorque.

O evento tem como destaque duas grandes safiras originais de um dos pontos mais respeitados em relação à pedra azul: a Caxemira. Com 9,23 quilates, a maior, e 6,95 quilates a menor, estima-se que elas sejam vendidas entre US $ 250.000 e US $ 450.000 e US $ 475.000 e US $ 775.000, respectivamente.

A região ao norte da Índia é famosa em todo o mundo por suas safiras de alta qualidade.  O tom profundo do azul reforçado pelo brilho, como fina seda, encanta até hoje os amantes da joalheria. O período de produção das jazidas da Caxemira foi curto, os minerais se esgotaram por volta de 1930, mas até hoje sua fama se mantem. Sua qualidade nunca foi esquecida.

Os exemplares que irão a leilão foram comprados no final do século 19 e início do século 20 para anéis de noivado de dois irmãos e passadas através das gerações desde então, ficando na posse da família por mais de um século. Agora, terão oportunidade de brilhar em público novamente.

 

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado