Tudo o que você precisa saber sobre o Pix

O novo sistema de pagamentos do Banco Central foi lançado nesta segunda-feira, dia 16/11

Por Clara Lemos

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Pix, novo sistema de pagamentos e transferências criado pelo Banco Central, começou a operar em toda sua capacidade na segunda-feira (dia 16/11), após período de teste de duas semanas por número limitado de usuários e horários. A grande novidade do sistema é que está disponível para transações e pagamentos 24 horas e todos os dias da semana, incluindo fins de semana e feriados. Já são 762 instituições financeiras e mais de 50 milhões de clientes cadastrados.

Outra facilidade do Pix é que as transferências e pagamentos são realizados de forma instantânea, concluídas em até 10 segundos. Além disso, pessoas físicas e portadoras de MEI (Microempreendedores) possuem gratuidade nas transações. Ele vem como alternativa ao TED e DOC, que só funcionam em dias úteis, horário comercial e possuem taxas de transferência.

A conta no Pix pode ser criada por meio da instituição financeira que você utiliza, nos canais de acesso como aplicativos, internet banking ou nas agências físicas. No ato da inscrição, é criado sua chave Pix, que é o endereço de sua conta, podendo seu usado seu CPF/CNPJ, e-mail, número de telefone ou chave aleatória- combinação de letras e números que preserva sua identidade. Cada pessoa física pode ter até 5 chaves Pix por conta bancária e pessoas jurídicas até 20 por conta bancária.

A opção de utilizar o Pix aparecerá nos aplicativos de banco ou caixas eletrônicos quando você for realizar transferências e pagamentos, assim como aparecem o TED e DOC. Como está em sua fase inicial, é necessário maior atenção dos usuários às tentativas de fraudes, que podem aparecer por meio de links falsos no whatsapp e demais redes sociais. Os novos usuários devem usar apenas os canais de seu banco e instituições financeiras para realizarem o cadastro e transações no Pix. Instituições financeiras não costumam pedir dados bancários por meio de telefonemas, e-mail ou links nas redes sociais, fique atento.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado