5 lições de negócios que podemos aprender com o xadrez

Observando o potencial de cada peça do jogo, é possível aprender atitudes para aplicar nos negócios

Por Gabriel Moura

O xadrez é um jogo que desafia a mente. Nenhum movimento é em vão, pois todos têm consequências. A diversão está em antever os prós e contras de cada jogada, inclusive os possíveis contra ataques do adversário.

Ganha quem for capaz de escolher os melhores movimentos rumo ao objetivo final, o xeque-mate.

Além dos peões, imprescindíveis para o avanço das peças principais, há cinco peças especiais com características únicas. Observando o potencial de cada uma podemos aprender 5 atitudes para aplicar nos negócios.

1. O rei pode ir para qualquer direção, porém, sua limitação em andar uma casa por vez, ensina a importância de não avançar desacompanhado. Sozinho, tem poucos recursos para se defender. Revela a importância de ter as outras peças por perto, unidas em torno do mesmo objetivo;

2. A rainha consegue andar em qualquer sentido (horizontal, vertical e diagonal). Com o privilégio de percorrer quantas casas quiser, é a responsável por armar estratégias de ataque, mas não pode vacilar na defesa. Ela mostra que é preciso saber a hora certa de avançar e recuar, sem nunca perder de vista o principal: preservar o rei.

3. O bipo pode transitar pelo tabuleiro em sentido diagonal. A peça age em silêncio, de modo sorrateiro, sem expor estratégias e planos de ataque. Desse modo pode ir longe e, quando o adversário menos espera, está encurralado pelo bispo.

4. O cavalo é a única peça que consegue pular outras. Tem permissão para saltar em “L”, empregando versatilidade. Ele nos ensina a importância de abrir caminhos mais elaborados. Em linha reta é sempre mais lógico e fácil, mas nem sempre mais eficiente.

5. A torre cria oportunidades. A peça anda em linha vertical e horizontal, conseguindo limitar as ações do adversário, e com isso, criar circunstâncias favoráveis durante a partida. A peça mostra a importância de proteger o nosso território, objetivo que às vezes é esquecido quando o foco está somente avançar e conquistar outro reinado.

Por fim, todas essas peças, somadas aos peões, revelam que ninguém ganha o jogo sozinho. E um ponto extra para reflexão: quem é você no tabuleiro do seu negócio?  E quem é a sua empresa?

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado