Após dois anos, diamante bruto de 1.109 quilates volta a leilão

Lucara acelera venda diamante raro antes de desvalorização

Gabriel Moura

Após dois anos, a Lucara Diamond Company ainda estudando a melhor maneira de vender seu diamante bruto de 1.109 quilates, chamado Lesedi La Rona, encontrado em sua mina de Karowe. De acordo com a Mining Weekly, a empresa considerando formar uma parceria para vender a pedra se ainda não tiver um acordo em breve.

Em junho de 2016, a pedra não conseguiu encontrar um comprador em um leilão da Sotheby’s. Ele perdeu seu preço de reserva de US $ 70 milhões, já que a oferta mais alta foi de US $ 61 milhões. É o maior diamante bruto de qualidade descoberto em mais de um século, e o maior diamante de qualidade de gema existente hoje em dia.  Segundo o CEO William Lamb, a Lucara continua recebendo ofertas e avalia as opções para uma venda definitiva. No entanto, ainda não há uma oferta que cubra o valor pretendido para a venda. “Nós procuraremos uma parceria, pois já se passaram quase dois anos desde que recuperamos a pedra e precisamos ver qual será o resultado disso”.

Especialistas em diamantes avaliam que essa gema pode ter que ser cortada e polida para ser vendida. O problema é entender o que a pedra pode produzir. Para eles, seria um erro a Lucara manter a pedra uma vez que qualquer nova descoberta pode trazer a desvalorização da gema. Com o avanço da tecnologia não é difícil que, em poucos dias, haja uma gema maior sendo revelada pelas grandes mineradoras.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado