As tendências de consumo para 2019: controle, simplicidade e valores

 Por Juliana Bianchi

Mudanças, desafios e incertezas são as palavram mais ouvidas quando se trata de perspectivas para 2019, independente do país ou setor. Cada vez mais empoderados, conscientes e conectados, os consumidores vêm tentando retomar o controle de suas próprias vidas e simplificar suas escolhas, enquanto exigem das empresas mudanças nos valores e posturas para que ajudem a fazer diferença no mundo. As marcas que quiserem sobreviver ao turbilhão que vem pela frente terão de se manter constantemente atentas. Veja algumas tendências de comportamento levantadas pela empresa de pesquisa de mercado Euromonitor International que devem impactar o consumo neste ano.

 De volta ao básico
Produtos autênticos, de alta qualidade, feitos por pequenos produtores locais, personalizados, customizados ou/e minimamente processados ganharão mais destaque como símbolo de status. Assim como experiências e serviços que permitam e auxiliem as pessoas a expressarem suas individualidades.

Consumidor consciente
A preocupação com o bem-estar animal é assunto que não se restringe mais às empresas de nicho. Com o crescente número vegetarianos e veganos em todo mundo, o posicionamento ético em relação à natureza se tornou assunto sério dentro de grandes companhias, como Danone, Nestlé e Coca-Cola. Mas a tendência não se restringe à alimentação e encontrará ecos nos setores de moda, beleza e personal care.

 Mundo sem plásticos

Em todo o mundo se vê iniciativas para criar uma sociedade livre de plásticos, com iniciativas vindas de empresas e governos, que criam um círculo virtuoso em prol da sustentabilidade. E isso deve continuar. No Brasil, apesar da grande adesão aos canudos e copos feitos com materiais alternativos – papel, macarrão, vidro, metal, bambu – em detrimento aos descartáveis, muitas indústrias ainda seguem optando pelo material para a criação de embalagens, dada suas vantagens competitivas. Entretanto, muitas encontraram nas parcerias com empresas de reciclagem e reuso do plástico uma forma de assegurar seu compromisso com o meio ambiente.

 Encontrando meu JOMO
A ansiedade gerada pelo medo de ficar para trás diante do excesso de conexão e informação, apelidada de FOMO (Fear of Missing Out), vem dando lugar à alegria de se desconectar para priorizar o que realmente se gosta e proteger o bem-estar mental. Tendência batizada como JOMO (Joy of Missing Out). Produtos e serviços que auxiliem nessa desconexão e que tragam experiências reais, momentos de prazer e indulgência pessoal estarão em alta.

Digitalmente juntos, mas independentes na vida real
Com o aumento do número de divórcios de pessoas acima de 50 anos e jovens atrasando ou evitando o casamento para se concentrar em suas carreiras ou prioridades pessoais, estima-se que até 2030 o número de pessoas solteiras aumentará cerca de 30%. Produtos e serviços que sejam simples, tragam conveniência, sejam acessíveis e ajudem a celebrar a individualidade estarão em alta. Mas morar sozinho não significa solidão. O número de pets vem crescendo ano a ano e as tecnologias disponíveis aumentam as possibilidades de estar conectado e viver experiências em conjunto, mesmo que à distância. Mais do que redes sociais, avanços na telemedicina, no compartilhamento de grandes dados em tempo real, no monitoramento remoto e no aprimoramento de experiências imersivas com o uso de realidade virtual e aumentada vêm permitindo a criação de novas plataformas, redes e serviços a serem acessados.

Agnóstico em relação à idade

As pessoas estão vivendo mais e envelhecendo melhor. E a geração baby boomertem mais semelhanças com os millennialsdo que se pode imaginar. Eles são obcecados pelo que há de mais novo em tecnologia, prezam a liberdade e estão em busca de um bom equilíbrio mental, físico e espiritual. Esse novo consumidor maduro não aceita ser tratados como velho e busca trabalhar com conceitos e produtos que atendam suas necessidades, mas sem rótulos de idade parece ser o caminho para o sucesso.

Todos são especialistas
A jornada de compra mudou e as decisões já não são mais tomadas a partir de uma única fonte, especialmente se ela for diretamente ligada a própria marca. Acostumados a compartilhar todo tipo de informação nas redes sociais, os consumidores também pesquisam online benefícios, diferenciais, descontos, preços e locais de compra. É o novo boca-a-boca influenciando a partir de um mosaico de opiniões disponíveis em reviews, stories, chats, lives, fóruns, posts etc. Para as marcas, passa a ser essencial levar as estratégias de marketing para as diferentes plataformas, inovando constantemente para atrair os clientes mais inquisitivos e suscetíveis de forma a atender as diferentes demandas.

 Eu posso cuidar de mim mesmo
Essa tendência está diretamente ligada à necessidade de reassumir o controle da vida, principalmente em relação à saúde, bem-estar e felicidade, sem precisar entrar em contato com especialistas ou apelar para as redes sociais. Aplicativos e serviços de personalização têm ajudado a criar produtos exclusivos que permitem flexibilizar a vida de forma simples para cuidar de si mesmo preventivamente no dia-a-dia.

Eu quero agora!
Cada vez mais acostumados com eficiência e agilidade, os consumidores buscam gratificações instantâneas e experiências sem atrito que lhes permitam ter mais tempo livre, ou simplificar processos. Aplicativos e serviços que ajudem a organizar a vida, evitar filas ou tempos de espera e sincronizem sugestões aos seus gostos pessoais e interesses são cada vez mais adotados principalmente pelas gerações mais novas. Entretanto, o sucesso desses resultados depende, muitas vezes, da coleta e gestão de dados pessoais. A aceitação e a confiança do público nesse acesso irrestrito será fundamental para determinar o futuro dessa tendência.

Fonte: Angela Klinke Report
Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado