Caveiras de luxo

Anéis e pingentes com caveiras são destaques na coleção Dior

Débora Rodrigues

A caveira não é novidade para a joalheria Dior: o diretor de arte da linha de joias, Victoire de Castellane, utiliza esse tema desde 2001. Agora, o símbolo atípico para uma casa clássica e tradicional, entrou para o Little Fashion Dictionary de Christian Dior.

A nova coleção de joias Tête de Mort consiste em três conjuntos de joias, cada qual composta por pingentes e anéis em forma de crânios moldados em diferentes tipos de materiais: rosa, amarelo e ouro branco com quartzo, ametista ou tsavorita. Todos os produtos são incrustados com diamantes. A tradição das joias “memento mori”, remonta ao século XV, quando crânios e esqueletos em forma de joia em miniatura lembraram o seu portador do quanto sua presença nessa vida é algo fugaz. A proposta da linha é conduzir ao carpe diem, convidando a aproveitar o dia como se fosse o último.

Nas mãos de Victoire de Castellane estas pequenas caveiras cor de chocolate são decoradas com olhos de diamante e detalhes peculiares e luxuosos. Ao contrário das outras caveiras da Dior, as peças da nova coleção são as mais fáceis de serem usadas de modo mais casual no dia a dia. As antigas joias de crânios incluem a memorável coleção de alta joalheria Reines et Rois, de 2009, uma série de crânios ghoulish únicos, cada um deles adornado com insígnias em miniatura. O mórbido com sentido paradoxal e luxuoso, como só uma grife dos sonhos como a Dior poderia criar.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado