Furtos na época do Natal

Varejo deve ficar alerta em temporada de alta nas vendas        

Da Redação 

O Papai Noel deverá ser mais generoso com o varejo brasileiro no Natal de 2019. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) prevê que as vendas natalinas neste ano devem chegar a R$ 35,9 bilhões, aumento de 4,9% em relação a 2018. No entanto, receber muita gente na loja não é sinônimo de faturamento maior e, pior, pode se transformar em prejuízo, principalmente, pelo registro de perdas decorrentes dos furtos, especialmente os externos.

“Nesse período do ano, eles aumentam entre 30% e 40%, especialmente nas seções de brinquedos, confecção e eletrônicos, porque os produtos ficam mais expostos nas prateleiras e a demanda é maior. Mas não podemos esquecer dos furtos internos, pois nesta época do ano as empresas contratam muitos temporários”, afirma Luiz Fernando Sambugaro, diretor de Comunicação da Gunnebo (www.gunnebo.com.br), empresa de origem sueca e referência no Brasil em proteção eletrônica no varejo.

Assim, a poucas semanas das festas de fim de ano e a do pagamento da primeira parcela do 13º salário, os varejistas devem ficar mais atentos às perdas, que atingiram em 2018, segundo a Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe), a média de 1,38% do faturamento líquido do varejo restrito, totalizando algo em torno de R$ 21,5 bilhões. “Os empresários, apesar do maior acesso às informações sobre ocorrências desse tipo, ainda subestimam o problema e têm dificuldade para escolher o melhor método para proteger o estabelecimento”, explica Sambugaro. “Seja qual o for o tamanho da empresa, eles têm de levar em conta que uma pessoa, ao entrar na loja, torna-se um cliente em potencial, mas quando o estabelecimento não dispõe do mínimo de tecnologia para a prevenção de perdas e furtos esse visitante pode tornar-se também uma grande dor de cabeça”, diz o diretor.

De acordo com Sambugaro, para um bom gerenciamento das perdas é essencial considerar investimentos em tecnologia. “Uma boa estrutura com circuito interno integrado às etiquetas antifurto e uma política de segurança interna resolvem 95% dos problemas. Mas o mercado tem à disposição uma série de soluções que auxilia na proteção de produtos, garante a segurança da loja, além de facilitar a gestão e o controle das equipes operacionais e de vendas”, argumenta o executivo. “A tecnologia disponível no país é bastante eficaz, mas também é necessário ter uma gestão eficiente e um bom capital humano”, completa.

As antenas antifurto, em conjunto com os mais variáveis tipos de etiquetas (rígidas ou adesivas), além do monitoramento por CFTV, são algumas das soluções eficazes para o comércio identificar no “mar” de consumidores os que vieram para comprar e nada mais. “Mesmo faltando menos de dois meses para o final do ano, ainda há tempo para adoção de algumas medidas. Com o maior volume de pessoas, e também de funcionários, as áreas mais críticas a serem monitoradas são compras, recebimento, estoque, troca de mercadorias, tesouraria, operação de caixa e transporte do dinheiro”, afirma Sambugaro.

O diretor da Gunnebo deixa cinco dicas importantes para o varejista que quer reduzir as perdas no Natal.

1 – Verifique como está a manutenção das soluções de prevenção de perdas presentes na loja caso as tenha; no caso de antenas antifurto, analisar se o estoque de etiquetas é o adequado para o aumento e giro de estoque.

2 – Invista em gestão, pessoas e tecnologia. Dessa última, contar com câmeras, antenas antifurtos e cofres inteligentes é fundamental para dar segurança, além dos cadeados eletrônicos, que fazem a diferença nas vendas.

3 – Dê atenção especial aos Produtos de Alto Risco (PAR), como aparelhos celulares, lâminas de barbear, desodorantes, calças jeans, calçados, bebidas – uísques, vodcas e cervejas -, carnes, especialmente as nobres, etc.

4 – Manter a loja organizada, principalmente dentro do estoque facilita o controle e diminui assim o número de fraudes.

5 – As equipes de caixa e vendas devem ser treinadas objetivamente quanto aos cuidados e observação das pessoas que estão na loja. Por isso, é fundamental contar com funcionários comprometidos, treinados e atualizados.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado