Gemas responsáveis

Ferramentas ajudarão empresas a implementar fornecimento responsável na indústria de pedras preciosas

Débora Rodrigues

A sustentabilidade é a pauta da vez na indústria joalheira. Cada vez mais grupos se organizam para suprir a demanda dos consumidores por produtos de procedência ética. Dessa vez foram a Confederação Mundial de Joalheria (CIBJO) e o Grupo de Trabalho de Gemas Coloridas (CGWG) que decidiram agir para ajudar as empresas do setor a implementar o fornecimento responsável de gemas, como rubis, esmeraldas e safiras.

Os grupos desenvolverão ferramentas de gerenciamento e recursos que as empresas de gemas coloridas podem baixar gratuitamente, para apoiá-los na condução da due diligence de suas cadeias de suprimentos.

“O que estamos realizando através deste acordo vai além de fazer declarações declarativas sobre a necessidade de praticar o fornecimento responsável”, disse o presidente da CIBJO, Gaetano Cavalieri, quando anunciou a nova medida. “Também fornece aos membros da nossa indústria, e especialmente às muitas pequenas e médias empresas das quais somos predominantemente formados, meios práticos de fazer o trabalho”.

O CGWG é uma aliança de empresas que ajuda a indústria de pedras preciosas a alcançar a sustentabilidade, e é facilitada pela The Dragonfly Initiative (TDI), uma empresa de consultoria. A aliança compreende Tiffany & Co., Swarovski, Richemont, Empresas Muzo, LVMH, Kering e Gemfields.

O CIBJO e a CGWG assinaram um memorando de entendimento no Fórum de Minerais Responsáveis ​​da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), realizado em Paris em abril desse ano.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado