Joalheria sustentável é a nova moda mundial

Conheça histórias de sucesso de joalherias que estão trilhando o caminho da sustentabilidade

Débora Rodrigues

Há tempos as joalherias mundiais perceberam que é preciso mais do que vender sonhos. Avaliando as tendências e o comportamento do consumidor moderno, viram que é preciso trabalhar com a joalheria ética. Isso significa que as coleções não podem apenas serem lindas: precisam existir por uma causa justa e ética.

Muitas joalherias buscam mostrar que se preocupam para produzir peças de forma sustentável. E isso vai desde a aquisição de gemas éticas até à capacitação de pessoas ligadas à indústria, dentre elas mineiros e artesãos tradicionais.  Assim, marcas mundiais passaram a usar a transparência sobre como fazem negócios como Marketing. Cada empresa procura gerenciar seus recursos com responsabilidade e elevar em vez de explorar seus funcionários.

E mais pessoas públicas têm ajudado a divulgar a ética na joalheria. Em uma visita a Birkenhead, Meghan Markle usou jóias de diferentes marcas, mas todas compartilhando valores contemporâneos de sustentabilidade. A duquesa de Sussex tem escolhido joias com uma mensagem.

A seguir, conheça algumas histórias de joalherias que estão trilhando o caminho da sustentabilidade:

JEM

JEM significa “ Jewelery Ethically Minded”.  Sediada em Paris, a JEM pretende combinar sua consciência ética com a simplicidade do design.  O ouro usado em suas peças é certificado como “Fairmined”, garantindo que ele é eticamente proveniente de minas que trabalham para adotar hábitos sustentáveis. A primeira joalheira francêsa a ser rotulada como tal, a JEM espera inspirar transparência na indústria de joias. Cada peça tem um número de série rastreável que pode ser rastreado até as origens do material. A JEM está atualmente buscando uma solução para a rastreabilidade dos diamantes antes de incluir esta pedra preciosa em suas coleções, a fim de garantir total equidade em seu modelo de produção.

Pascale X James

A marca londrina Pascale X James está focada na qualidade do produto, na honestidade de seus funcionários e na responsabilidade com o meio ambiente. O último inclui as seguintes etapas para minimizar sua própria pegada de carbono: usar um fornecedor de energia renovável para seu gás e energia elétrica, manter viagens desnecessárias ao mínimo (e usando alternativas verdes quando possível) e rotineiramente checando seus fornecedores para reavaliar suas credenciais ecológicas. A marca entende a importância de fazer mais, além dessas escolhas conscientes para afetar as emissões mundiais de gases do efeito estufa . Assim, decidiu pagar um imposto voluntário sobre o carbono para promover o uso de recursos renováveis.

Winden

A Winden cria joias delicadas, feitas principalmente de materiais reciclados. Uma lista de todos os materiais e suas origens pode ser encontrada no site da marca. De solários 100% naturais e inalterados até correntes de ouro recicladas selecionadas de uma empresa familiar sediada em Nova York, a Winden escolhe seus materiais e fornecedores com pensamento igualmente consciente.

Kindaren

Outra joalheria que se posiciona contra a tradicional indústria de diamantes, Kinraden usa apenas Mpingo certificada FSC, também conhecida como Blackwood Africana, no lugar da pedra devido à sua impressionante semelhança com os diamantes negros. Mpingo é extremamente resistente e dura e reflete uma bela cor preta, daí a sua semelhança com diamantes. Freqüentemente usada para fabricar instrumentos de cordas acústicas, é uma planta encontrada nas regiões secas da África. Os pedaços de fontes mpingo Kinraden são muito pequenos para serem usados ​​na produção de qualquer outra coisa. Essa iniciativa para limitar o desperdício industrial não é apenas sustentável para o meio ambiente, mas também ajuda os habitantes locais a melhorar suas próprias condições de vida.

Projeto Starfish

Esse empreendimento social leva o nome de uma parábola sobre um velho que vê um menino jogando estrelas-do-mar encontradas na areia de volta ao oceano. Quando o homem aponta as milhares de estrelas na areia, dizendo que o menino não pode fazer a diferença, o garoto joga outra na água e diz: “Para essa eu fiz a diferença”. O Projeto Starfish visa libertar mulheres e meninas do tráfico sexual na Ásia. Toda venda de joias apóia sua liberdade e independência por meio de um programa de atendimento holístico que oferece oportunidades de saúde e educação. A empresa também emprega as mulheres, que fabricam manualmente as peças livres de chumbo e cádmio.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado