Joias éticas são o novo luxo do mercado joalheiro

Adotar o espírito responsável e transparente acrescenta integridade às marcas

Gabriel Moura

As joias éticas são o novo luxo da joalheria. Muitos artistas de Hollywood e até a rainha Elizabeth II reconheceram publicamente que ouro e diamantes rastreáveis e oriundos de mineração em locais sem conflito têm um brilho extra. Diante dessa mobilização, muitas marcas já reconhecem que é hora de se tornarem conscientes e estão direcionando seus negócios nesse sentido.

A designer Natalie Perry, fez uma parceria com a boutique de joias EC One, baseada no icônico Exmouth Market de Londres, e lança uma coleção de 12 peças da linha Floral Fragments em ouro de comércio justo de 9 e 18 quilates, que inclui brincos de argola, colares de camadas, pulseiras e anéis. A proprietária da EC One, Alison Skeates, disse que se sente “feliz por adicionar as belas joias de estilo delicado e único de sua coleção, aliado ao espírito responsável e transparente, é realmente inspirador e acrescenta integridade a suas peças”.

Quando se trata de presentes, a joalheria está sempre no topo da lista. E à medida que a conversa em torno da moda sustentável aumenta, o tema chega também aos designers de jóias. Lilian von Trapp apóia financeiramente uma campanha ambiental e humanitária em Uganda. Ela faz parte de um grupo de pequenos joalheiros internacionais que se preocupam com as questões de ética, ouro e diamantes rastreáveis, coletivos de empregos femininos e artistas locais.

Em 2013, a joalheira Pippa Small foi reconhecida pela Rainha Elizabeth II e recebeu dela um MBE por serviços de produção de jóias éticas. Sua marca tem feito parcerias colaborativas com artesãos indígenas. Trabalha com a Montanha Turquesa – uma instituição de caridade de artes fundada pelo Príncipe Charles e o ex-presidente do Afeganistão Hamid Karzai para reviver o artesanato afegão banido durante o regime talibã e tem a preocupação de promover técnicas tradicionais de joalharia da sociedade birmanesa desde 200 aC.

A brasileira Ana Khouri, designer de joias que teve um de seus brincos usados por Lady Gaga na capa da American Vogue, de outubro, também atua com ouro platina, diamantes e pedras preciosas rastreáveis. Melissa Joy Manning trabalha sua marca desde 1997, muito antes de a sustentabilidade e a origem ética estarem em alta. Além de usar materiais sustentáveis ​​– incluindo prata reciclada e ouro de 14 quilates e pedras de origem responsável – usa papel reciclado, tintas ecológicas e processos que envolvem energia limpa. Outra preocupação é que ela também adotou a política de desperdício zero e compensação de carbono em cada remessa.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado