Mundo em crise e equilíbrio emocional

Saiba como evitar o esgotamento profissional e manter

Por Carolina Pinheiro

A pandemia do coronavírus está deixando as pessoas em alerta, e, muitos, estão bastante nervosas e preocupadas com a doença. É difícil manter a calma, diante da incerteza, mas é importante, mais do que nunca, cultivar a tranquilidade, por cada um e pelo bem comum.

A Ordem de Psicologia de Madrid divulgou uma série de recomendações tanto para as pessoas que não têm uma relação direta com o vírus, quanto para as pessoas que estão infectadas ou estão sob suspeita. Tudo isso é uma forma de ajudar a população a enfrentar o mal-estar psicológico desencadeado por toda esta situação.

Sinais de alerta

Nervosismo, agitação ou tensão, com uma sensação de perigo iminente e / ou pânico;

Não consegue parar de pensar em outra coisa que não seja doença ou se vai ficar doente;

Precisa estar permanentemente vendo ou ouvindo informações sobre este assunto;

Tem dificuldades em se concentrar ou a se interessar por outro assunto;

Tem dificuldade em fazer as tarefas diárias ou fazer o seu trabalho corretamente; o medo o paralisa e impede de sair;

Está em alerta, analisando as tuas sensações corporais e interpretando-as como sintomas de doença, sendo os sinais normais de sempre

Tem dificuldade em controlar a sua preocupação, pergunta persistentemente aos membros da tua família sobre o estado de saúde deles, alertando-os sobre os sérios perigos que correm toda vez que saem de casa;

Sente um aumento da frequência cardíaca, respiração rápida (hiperventilação), tremores sem justa causa;

Têm problemas para dormir bem.

Os psicólogos recomendam:

Identificar os pensamentos que podem causar desconforto;

Pensar constantemente sobre a doença pode causar o aparecimento ou aumento de sintomas que aumentam o teu sofrimento emocional;

Reconheça as emoções e aceite-as. Se necessário, compartilhe a situação com os mais próximos para encontrarem a ajuda e suporte necessários;

Converse com sua família sobre o que está acontecendo com você;

Evite informações excessivas, estar permanentemente conectado não vai te tornar mais bem informado e poderá aumentar desnecessariamente o seu senso de risco e nervosismo;

Mantenha uma atitude otimista e objetiva;

Siga os hábitos adequados de higiene e prevenção recomendados pelas autoridades de saúde;

Evite falar sobre isso permanentemente;

Não contribua para espalhar notícias falsas e boatos. Não alimente o medo dos outros,

Tente viver uma vida normal, dentro do possível.

Se pertence à população de risco:

Siga as recomendações e medidas preventivas determinadas pelas autoridades de saúde;

Se está em isolamento, lembre-se que isso pode te levar stress, ansiedade, solidão, frustração, tédio e / ou raiva, juntamente com sentimentos de medo e desesperança, cujos efeitos podem durar ou aparecer mesmo após esse período. Tente ficar ocupado e conectado aos entes queridos;

Crie uma rotina diária e aproveite a oportunidade para fazer as coisas que gosta (ler um livro, ver um livor ou série…)

Se está com a doença:

Siga as recomendações anteriores e também:

Pense positivo;

Não fique desnecessariamente alarmado. Seja realista. A grande maioria das pessoas está se curando

Quando tiver medo, pense em outras doenças ou momentos difíceis que já superou na vida.

 

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado