O que as joias fazem pela moda?

Parcerias entre estilistas e designers de joias são memoráveis no mundo da moda

Por Clara Lemos

Chanel e Verdura, 1937.

Roupas e joias andam juntas e se complementam no mundo da moda, em combinações estonteantes. Encontros de criadores brilhantes impactaram enormemente a história da moda, como o colab de Elsa Peretti com Halston nos anos 1970 e quando Coco Chanel se juntou a Fulco di Verdura nos anos 1930, criando juntos a magia da indumentária. Coco Chanel era apaixonada por joias, ela certamente criou o vestidinho preto para poder usar todas as pérolas que quisesse.

Assim, a estilista convidou o promissor joalheiro italiano Fulco di Verdura por volta de 1927, para conferir qualidade e elegância às joias que usava. Verdura redesenhou as joias de Chanel a partir de sua interpretação artística bizantino-renascentista. Ele desenhou para ela um par de pulseiras da Cruz de Malta em esmalte branco com pedras preciosas. Fez também a Fleuron, pulseira de punho aberta de ouro e pérola, que fez um grande sucesso na época. O colar de pérolas Y-pearl é outra grande criação do gênio italiano.

Estas joias são reinterpretadas até hoje e nunca saem de moda. Nos desfiles da Chanel, ainda é possível ver a influência de Verdura em pérolas e punhos de fantasia. Na boutique Verdura, em Nova York, há inúmeras adaptações dos punhos da Cruz de Malta e da pulseira Fleuron. A história mostra que joias iluminam as roupas e as passarelas, como também aconteceu nas colaborações entre Michael Halpern e Lynn Ban e entre Brock e Marie Hélène de Taillac. Com o legado deixado por Chanel e Verdura, as parcerias entre estilistas e designers de joias são sempre bem vindas.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado