Telas de Gabrielle Chanel inspiram a coleção ‘Coromandel’

Foi durante a Paris Fashion Week que a Chanel apresentou nas vitrines sua nova coleção de joalheria. Agora, a nova linha revisa esse momento.

Por Débora Rodrigues

Para lançar essa última coleção, os designers criativos de Chanel inspiraram-se na própria mademoiselle Gabrielle Chanel. A ideia para os desenhos das peças veio do seu apartamento localizado à Rue Cambon e a inspiração brotou de tudo o que a equipe encontrou em seu interior, mais precisamente nos guarda-roupas de madeira decorados que ela mantinha. Eram representações de palácios fantásticos, nuvens, pássaros-do-paraíso e jardins florais dos mestres chineses dos séculos XVII e XVIII adornam as telas decoradas com a técnica de pintura a laca ‘Coromandel’ – popular no final do período Ming. E são essas imagens que se refletem na nova coleção de joias da Maison.

Tendo ficado muito encantada com a arte chinesa, Gabrielle Chanel descobriu uma paixão por telas decoradas em 1910 através do financista Boy Capel. Ela considerou essas peças como uma porta para felicidade pessoal e contentamento, em vez de meros objetos de design de interiores. Ao longo dos anos, ela adicionou muitas peças à sua coleção, acumulando mais de 30 telas decorativas. A estilista ainda usou essas telas para mudar o layout de seus quartos, além de empregá-las como cenário em seus desfiles de moda. Hoje, existem oito telas que permanecem em exibição nos famosos apartamentos da estilista na Rue Cambon.

A coleção Coromandel é composta de 59 peças, com 24 que são inteiramente originais. Os motivos queridos para Gabrielle Chanel são retrabalhados em torno de três temas: floral, visivelmente evocando sua flor de assinatura, a camélia; através do bestiário de Coromandel; e mineral, refletindo seu amor por cristais e pedras preciosas.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado