Aberta primeira joalheria de diamantes cultivados

Conceito explorado pela loja é de que os diamantes cultivados são 100% reais

Por Débora Rodrigues

A Lark & Berry abriu um marco dentro da joalheria mundial. Ela é a primeira empresa de luxo a abrir uma loja física que venderá apenas peças feitas com diamantes e outras pedras cultivadas em laboratório.

“Ao virem nossos belos anéis, colares, brincos e muito mais de 14K e 18K, todos feitos com diamantes cultivados, as pessoas se apaixonarão por eles”, garante Laura Chavez, fundadora da Lark & Berry. Os preços variam de US $ 200 para coleções de ouro 14K e entre US $ 3 a US $ 100 mil para jóias finas e coleções de casamento em ouro 18k e platina.

“Não há melhor momento do que agora para abrir. Começamos apenas alguns meses com nossa loja online e mal conseguimos dar conta do sucesso”, explicou ela. “Respondi e-mails o tempo todo perguntando sobre quando abriríamos a loja de Londres, porque as pessoas querem experimentar essas peças incríveis”. Segundo ela, a empresa estuda abrir filiais em outros locais – Nova York, Paris e Hong Kong.

Laura revela que há muito tempo pensava em lançar sua própria marca de joias, mas esbarrava nas questões prejudiciais ligadas à mineração. Foi assim que teve contato com a tecnologia de cultivo de gemas. Feitas em um ambiente controlado, em processo que reproduz a formação de diamantes naturais, as pedras cultivadas da Lark & ​​Berry ficam dentro da mais pura categoria de diamantes no mercado, com apenas 2% de suas minas tendo a mesma qualidade superior. O processo leva a menos desperdício, menos perda de água e menor impacto ambiental. As pedras também são livres de conflitos, uma vez que não há mineração e exploração associada de comunidades locais.

“Quando descobrimos essa tecnologia ficamos surpresos”, falou a diretora de criação da Lark & ​​Berry, Katie Rowland. “Há confusão sobre o que é um diamante cultivado. A palavra ‘sintética’ é usada de forma errada, por exemplo. Sintético é o mesmo que falso, e diamantes cultivados são 100% reais”. A fundadora da marca lembrou que a Federal Trade Commission atesta que um diamante sempre será um diamante, “não importa onde ele seja criado”, o que ajuda a romper as antigas práticas de mineração.

Para ambas, a verdadeira diferença entre os diamantes cultivados e minerados é que “o processo de mineração destrói o meio ambiente de países pobres e pode levar ao trabalho infantil e outras violações dos direitos humanos. Por isso, avaliam que “a cultura de diamante de Lark & ​​Berry mudou tudo isso para melhor”.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado