Até 2030, um a cada dez diamantes será sintético

Tendência indica crescimento de gema artificial e a luta contra as pedras naturais

Débora Rodrigues

O uso de diamantes sintéticos fabricados em laboratórios está cada vez se consolidando mais no mercado joalheiro mundial. Agora, segundo a emissora France 24, é possível que até 2030, cada décimo diamante usado em uma joia que chega ao mercado mundial deverá ser produzido pelo homem.

A agência francesa declarou que, embora a participação de mercado de diamantes de laboratório ainda seja pequena hoje, suas vendas aumentaram constantemente nos últimos anos, quebrando uma série de barreiras. E ainda conforme a emissora, os produtores de diamantes laboratoriais e naturais entraram em uma batalha de comunicação entre si.

Os diamantes sintéticos têm sido apresentados ao mercado joalheiro como uma alternativa ética e ecológica aos diamantes naturais. E apesar deles possuírem as mesmas características, há uma grande diferença no valor, com as pedras mineiradas sendo vendidas 40% acima do valor dos fabricados. Por sua vez, os grandes produtores mundiais de diamantes enfatizam sua origem natural e a singularidade dos diamantes extraídos nas entranhas da terra. Isso ainda é um argumento convincente na hora de vender um produto tão emocional quanto uma joia.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado