Consumidores se preocupam com compras nas redes sociais

Segurança de pagamento, qualidade dos produtos e falsificação lideraram a lista de preocupações

Por Erica Mendes

‘Mais de 90% dos consumidores têm preocupações quando se trata de compras através das redes sociais, mesmo assim quase um terço deles usa suas plataformas de compras’, é o que revela a recente pesquisa da MarkMonitor.

A segurança de pagamento (59%), a qualidade dos produtos (56%) e a falsificação (47%) lideraram a lista de preocupações dos entrevistados.

A inquietação com produtos falsos está fundamentada em 31% dos compradores que afirmaram terem feito aquisições online inconscientes de tal característica, dos quais 23% foram via mídia social. Além disso, 63% acreditam que as marcas, os mercados online e as plataformas de mídia sociais não fazem o suficiente para protegê-los de fraudes e dos falsificadores e criminosos cibernéticos.

Por outro lado, o estudo revela que 66% dos compradores dizem confiar nas informações mostradas nas páginas de compras das mídias sociais, enquanto 30% se sentem confortáveis ​​ao usar o cartão de crédito para fazer aquisições.

Roupas, acessórios para casa e produtos eletrônicos estão no topo da lista dos itens que mais gostam de adquirir através da mídia social, enquanto que joias (27%), férias (27%), produtos de saúde (26%) e ingressos para eventos (24%) vigoram na lista dos produtos que os entrevistados dizem que nunca comprariam.

Ao comentar os números da pesquisa, Chrissie Jamieson, vice-presidente de marketing da MarkMonitor, disse que “com mais pessoas usando a mídia social, é provável que o número de compras realizadas neste canal cresça e que, independentemente de a compra ser online, os consumidores ainda são alvo de falsificadores, sendo natural que eles procurem por marcas e plataformas de mídia social que os protejam.

O executivo ressaltou ainda a necessidade das empresas de incorporarem as plataformas de mídias sociais em suas estratégicas de proteção da marca, visando garantir boas compras aos consumidores e também a sua própria reputação. “Muitas plataformas de mídia social já possuem mecanismos de proteção contra a venda de itens falsificados e estão constantemente melhorando as ferramentas para detectar e relatar as fraudes, mas é claro que os consumidores sentem que mais medidas precisam ser tomadas”.

A pesquisa teve uma amostra de 2.603 consumidores do Reino Unido, EUA, França, Alemanha e Itália.

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado