Diamante é impresso em 3D

Empresa inicia compósitos de diamante para impressão 3D

Gabriel Moura

A Sandvik Additive Manufacturing criou o primeiro compósito de diamante impresso em 3D, perfeito para atender uma ampla gama de usos industriais. Este material super-rígido pode ser impresso em 3D em formas altamente complexas e pode revolucionar a maneira como a indústria utiliza o material natural mais duro do planeta.

O diamante é um componente-chave em uma ampla gama de ferramentas resistentes ao desgaste na indústria, desde mineração e perfuração até usinagem e também implantes médicos. Desde 1953, tem sido possível produzir diamantes sintéticos, mas como é muito difícil e complicado usinar, é quase impossível formar formas complexas.

Com o uso de manufatura aditiva, a Sandvik conseguiu compósitos diamantados de impressão 3D, que podem ser formados em praticamente qualquer formato. Isso abre a possibilidade de usá-lo em aplicativos que antes eram considerados impossíveis.

“Agora temos a capacidade de criar compostos diamantados fortes em formas muito complexas por meio da manufatura aditiva, o que fundamentalmente mudará a maneira como as indústrias poderão usar esse material. A partir de agora, o único limite de como este material super duro pode ser moldado e usado está na imaginação do designer”, diz Mikael Schuisky, Chefe de P & D e Operações da Sandvik Additive Manufacturing.

A pedra impressa em 3D é um composto criado usando o a tecnologia de manufatura aditiva chamada estereolitografia, em que partes complexas são produzidas, camada por camada, usando luz ultravioleta. Contém pó de diamante e polímero, razão pela qual a pedra não brilha.

O compósito de diamante tem sido usado não apenas por sua dureza extremamente alta, mas ainda por condutividade de calor excepcional, ao mesmo tempo, possuindo baixa densidade, muito boa expansão térmica e resistência à corrosão fantástica.

 

Não existem comentários ainda

Comentar

Seu email não será publicado